Traductor

sábado, 25 de dezembro de 2010

Rabanadas


Em muitas famílias portuguesas a ceia de Natal não é a mesma se não tiver um prato de rabanadas na mesa. O doce típico português, feito com pão amanhecido embebido no leite, ou numa calda de açúcar. No Minho utiliza-se o vinho para as embebedar deixando a sobremesa um pouco mais escura. A quem também chame as Rabanadas fatias douradas ou fatias-de-parida. No Nordeste brasileiro, ela recebe o nome de fatia parida e os pedaços de pão são umedecidos em leite de coco. Segundo uma lenda, uma mulher pobre precisava alimentar o seu filho recém nascido. Após comer restos de pão molhados em leite, único alimento que tinha, conseguiu amamentar o seu filho e ainda outras crianças, por isso, o doce é símbolo de fartura e prosperidade, é essa a explicação dada para  estar presente numa mesa na noite de ceia.

Ingredientes
Um pau de canela
Açúcar que baste
Ovos que baste
Leite que baste
Casca de um limão
Pão de barra ou cacete 
Canela em pó a gosto
Azeite ou óleo para fritar

Preparação
Corta-se o pão em fatias da grossura de um dedo, entretanto põe-se ao lume um tacho com água ( + ou - um copo ), a casca do limão, o pau de canela  e deixa-se levantar fervura, adoce com açúcar a gosto e junte o leite (3 copos para 1 de água ), deixe arrefecer um pouco. Batem-se como para omeleta os ovos precisos, remolhão-se as fatias na calda preparada e passam-se nos ovos e fritam-se no azeite que já deve estar a ferver, deixando-as ficar bem douradas. Depois de fritas põe-se numa travessa e povilhal-se com canela.
Querendo pode fazer uma calda de açúcar em ponto muito alto para regar as rabanadas, mas acreditem só com canela são uma delicia

Bom Apetite

Toucinho-do-ceu



Guimarães é chamada de o "Berço da nação" porque foi aqui que, em 1128, Portugal declarou a sua independência dos espanhóis de Castela e da Galiza. Hoje, porém, é mais conhecida por uma sobremesa chamada toucinho-do-céu (Bacon from Heaven), um bolo rico de ovo, amêndoa e chila com origem no convento de Santa Clara, fundado no século XVI. Em 1834, o convento desapareceu, mas os seus descendentes transmitiram uma versão da iguaria. O toucinho-do-céu tem um gosto açucarado e único.

O toucinho-do-céu é a mais soberba das especialidades da doçaria Vimaranense, preparando-se em várias casas que dizem seguir a receita de Santa Clara. Nem sempre será assim. O toucinho-do-céu é um doce conventual de ovos e amêndoa com chila. Não raras vezes, o que se encontra por aí é um doce de forno à base de chila, com ovos e sinais (às vezes, nem isso) de amêndoa. Uma excelente iguaria, para os apreciadores de chila. Mas que não lhe chamem toucinho-do-céu.


Ingredientes
200 gramas de miolo de amêndoa
50 gramas de doce de chila
4 ovos inteiros
8 gemas
400 gramas de açúcar
1 limão (só raspa)
1 colher (das de café) de canela
Manteiga e farinha para untar e farinhar a forma

Preparação
Sé não encontrar miolo de amêndoa, tendo das normais depois de escaldadas, escorra e pele-as ainda quentes, passe no 1-2-3 e reserve. numa tigela a mão bata muito bem os ovos, as gemas e o açúcar junte o miolo de amêndoa, a raspa da casca do limão, a canela e o doce de chila, bata bem. Verta para um tacho e leve ao lume Fraco para cozer as gemas e deixe arrefecer. Depois de frio mexa e deite o preparado para uma forma retangular e baixa, untada com manteiga e farinhada ( ter atenção para untar bem e farinhar, pois o doce pode pegar a forma ). Leve ao forno pre-aquecido 180º durante cerca de uma hora. Desenforme depois de frio e polvilhe com açúcar fino (em pó ).


Bom Apetite

sábado, 18 de dezembro de 2010

Bacalhau à Zé do Pipo

Esta é a minha sugestão para noite de ceia , em vez do celebre bacalhau com verduras, porque não fazer este prato que Também é bem Português “ Bacalhau à Zé do Pipo “ ( este prato foi feito na casa da Tia Sandra durante as minhas ferias ). Zé do Pipo foi dono de um restaurante tradicional da cidade do Porto e autor de uma receita batizado com o seu nome: “Bacalhau à Zé do Pipo”. Neste prato, as postas de bacalhau são cobertas com maionese e rodeada com purê de batata que vai ao forno para gratinar (  aqui nesta receita substitui o purê por batatas as rodelas e fritas em azeite ). Nos anos 60 ganhou um prêmio num concurso gastronômico o que lhe deu notoriedade, tendo então este prato sido adotado por muitos restaurantes  do Porto como especialidade da casa.

Ingredientes
4 postas de bacalhau
1 kg de batatas
1 l de leite
50 g de manteiga
1 cebola
2 dentes de alho
1 copo de vinho branco
400 gramas de maionese
1 pimento vermelho
azeite
Sal
Pimenta
noz-moscada
farinha

Preparação
 Descasque as batatas ( de preferência das vermelhas ) e corte as rodelas ligeiramente grossas e frite em azeite ( não fritar muito pois ainda vai ao forno ) e reserve. Se preferir com purê coza-as em água com sal. Escorra-as e passe-as pelo passe-vite. Junte a manteiga e leve a lume brando. Adicione aos poucos  leite quente, não parando de mexer ate obter um purê durinho. Tempere com pimenta e noz-moscada, retire do lume e reserve. Coza as postas de bacalhau, ( previamente de molhadas ) no leite durante 4 minutos aproximadamente, retire e seque-as com um pano, deixe esfriar e  passe-as por farinha. Frite-as em azeite e coloque-as numa travessa de ir ao forno. À parte, aqueça o azeite com os dentes de alho picados o  pimento as tiras a cebola as rodelas e o vinho branco. Regue o bacalhau com este molho. Cubra com maionese e coloque as batatas as rodelas a toda volta (ou o purê de batata). Leve ao forno a gratinar, ( pré-aquecido a 220º ) por cerca de 20 minutos. Decore com tiras de pimento vermelho e sirva ainda quente.

Bom Apetite

Nota:
Hoje em dia  a boas marcas de maionese na qual pode utilizar, mas se preferir pode fazer  uma maionese caseira da seguinte maneira :
Vinte minutos antes de confeccionar a maionese ponha todos os ingredientes ( gemas de ovo, azeite, mostarda,sal, pimenta e vinagre que baste )em cima da mesa. Desmanche as gemas numa tigela com a mostarda, sal e pimenta,  junte algumas gotas de vinagre e mexa com um batedor de varas e quando estiver bem ligado comece a juntar o azeite em fio, sem parar de mexer. Se ao misturar o azeite se notar que o molho está a ficar demasiado grosso junte um pouco de vinagre. Guarde a maionese no frigorífico até ao momento de utilizá-la.

domingo, 12 de dezembro de 2010

Pescadinha com rabo na boca

Não vou entrar em muitos pormenores, pois este prato e bem simples e fácil de fazer, depois das pescadinhas bem limpas tempera-se com sal, pimenta e alho bem picadinho, passado 1/2 hora ponha o rabo da pescadinha na boca e aperte para que morda e prenda o rabo, passa-se na farinha de trigo e frite em azeite. O acompanhamento pode ser um arroz de cenoura ( no caso ) ou arroz de feijão, se preferir pode servir com uma saladinha mista. Se quiserem na hora de servir podem por uns gomos de limão que vai muto bem com pescado frito.
Para fazer o arroz de cenoura basta na altura de estrugir o alho e a cebola picados, por também cenoura ralada  e seguir o processo habitual. Com o arroz de feijão basta seguir a receita de 02/03/10

Bom Apetite

sábado, 11 de dezembro de 2010

Cavacas


Ò freguesinho, não vai meio arrátel? Olhe que são de Resende!”,
Era desta forma que as doceiras do concelho apregoavam, no século XIX, um dos doces regionais mais deliciosos e apreciados nesta região: as Cavacas de Resende as mais famosa de todas. Hoje, as Cavacas encontram-se à venda durante todo o ano em quase todos os cafés, pastelarias e restaurantes, e como a sua confecção é aparentemente fácil, há muitas pessoas que as sabem confeccionar, não correndo o risco de esta tradição acabar. 
Sobre a origem deste precioso doce não há registos, no entanto, existe uma lenda que defende o seguinte: na Idade Média, uma senhora que residia em Vinhós ( concelho de Resende ) preparava a boda de casamento da sua filha e confeccionou o bolo de noiva, entretanto, o casamento teve de ser adiado devido a uma peste que estava a assolar o concelho, e dadas as poucas possibilidades econômicas, a senhora viu-se obrigada a conservar o bolo até á data do casamento, pelo que retirou a parte de cima daquele e molhou a parte restante numa calda de açúcar que lhe restituiu a frescura e fez as delícias de todos os convidados.
Tratando-se de um doce conventual, penso que vai bem nesta altura do ano.

Ingredientes; para as cavacas
8 ovos
1 chávena ( das de chá )de farinha de trigo
3/4 de chávena ( das de chá ) de azeite
1/2 chávena ( das de chá ) de aguardente
manteiga que baste para untar as formas
Ingredientes; para a calda
3 claras de ovo
1 1/2 chávena ( das de chá ) de açúcar

Preparação
Num alguidar bata os ovos apenas para misturar as gemas e as claras, junta-lhe a farinha peneirada, o azeite e a aguardente. Bata durante uma hora aproximadamente, divida essa massa pelas formas ( formas redondas baixas, tipo forma de flans ) untadas com manteiga. Leve a cozer em forno pré-aquecido até crescerem e ficarem douradas, desenforme e deixe arrefecer sobre uma rede de cozinha. Entretanto prepare a calda batendo as 3 claras com o açúcar até espessar, regue as cavacas com esta calda e deixe secar separadas em cima de papel vegetal.

Bom Apetite

Feijõada de Sames " de bacalhau "

Os sames ou samos de bacalhau fazem parte da gastronomia dos antigos pescadores do bacalhau nos mares da Terra Nova. Os sames (bexiga natatória do bacalhau), assim como as línguas, as espinhas ou as caras eram salgados à parte e constituíam um dos muitos pitéus a que os pescadores tinham acesso durante o tempo de faina. Os sames que habitualmente se fazem em feijoada ou com grão-de-bico.Encontramos à venda em algumas mercearias populares das zonas piscatórias, nas cidades possivelmente encontrarão sames em casas especializadas na venda de bacalhau. Nestas ferias foi mais uma das minhas pesquisas em gastronomia, um prato desconhecido da gente mais nova, mas que vale a pena prová-lo e ali nas Gafanhas pode-se dizer que era um dos pratos mais tradicionais em tempos mais remotos.

Ingredientes
800 gramas de sames salgados
500 gramas de feijão branco
1 chouriço vermelho
1 morcela
1 cenoura
1 cebola media 
3 dentes de alho
1 folha de louro
2 tomates bem maduros
1/2 pimento vermelho
salsa
piripiri
cominhos
noz-moscada
azeite 
sal

Preparação

No dia antes ponha de molho os feijões e os sames a de - molhar em água. No dia ponha os feijões a cozer com um fio de azeite e temperado de sal, entretanto limpe os sames da pele escuras e alguma cartilagem que possa trazer. À parte, num tacho ( que leve a feijoada ) faça um refogado com azeite, cebola, pimento  e os alhos picados, a que se acrescentou a cenoura e o chouriço em rodelas, a folha de louro e os tomates pelados e  picados. Tempera-se com sal, piripiri, cominhos, noz-moscada, salsa e deixou-se apurar um pouco.
Acrescentam-se os sames de bacalhau, deixe cozer tudo ate os sames ficarem macios, junta-se os feijões já cozidos ( juntamente com a água de os cozer )e a morcela as rodelas. Deixa-se a apurar em fogo baixo, retificar os temperos servir com arroz branco.

Bom Apetite

domingo, 5 de dezembro de 2010

Rojões na Caldeira " Á moda da Gafanha"

Este foi mais um dos meus pecados nas minhas ferias, desta vez na casa da Tia Sandra (e que ricos estavam). Na receita de 16/01/10 eu falei sobre eles feitos ao lume de lenha muito lento e numa caldeira, depois podem acompanhar com o que queiram, ( eu comi-os mesmo com broa  a tirá-los da caldeira. hehehe ) arroz, batatas, grelos, etc. Não vou passar aqui nem os ingredientes nem a preparação pois essa receita já esta feita no dia 10 de Janeiro deste ano, basta ir a pagina deste dia e seguir a receita. Mas vou deixar aqui esta foto pois os olhos também comem.

Rojoes à moda da Gafanha

Bom Apetite

sábado, 4 de dezembro de 2010

Sopa de Feijão Inchado

Há pois é pessoal esta e sopinha que eu mais gosto, claro que não e a época pois não é a altura de ter feijão de debulhar. Mas indo eu de ferias á minha querida Gafanha do Carmo e comentando que gostaria de comer uma sopa de feijão inchado, não e que a minha querida vizinha e amiga "Ti Carola", vai a sua arca e da-me dois saquinhos com feijão inchado já debulhado. La fui eu fazer a minha rica sopinha e como gosto de partilhar tudo que sei aqui fica a minha receita. Para quem não sabe  chama-se feijão inchado ao feijão ainda verde e debulhado (antes de secar) da sua casca. E nestes dia de muito frio esta sopinha calha mesmo bem.

Ingredientes
250 gramas de feijão inchado
4 batatas ( descascadas e cortada aos pedaços
1 cenoura as rodelas
1 cebola
1 tomate bem maduro
150 gramas de entrecosto ( se for salgado e depois demolhado melhor)
1/2 frango
1/2 morcela
1 chouriço vermelho

preparação
Numa panela com água suficiente para a sopa, ponha a cebola cortada em quatro e o tomate picado sem pele juntamente com o entrecosto e o frango aos pedaços e tempere de sal ( ter atenção ao sal se o entrecosto for salgado ). Assim que levantar fervura acrescente o feijão, a cenoura e o chouriço vermelho inteiro e deixe cozer. Ao meio da cozedura ponha as batatas. cinco minutos antes de apagar o lume ponha a morcela inteira, no fim antes de servir retire o chouriço e a morcela e corte as rodelas grossas e acrescente a sopa.

Bom Apetite

sábado, 23 de outubro de 2010

Crepes "panquecas"

Nada melhor para a merenda do que uma pilha de crepes, pois ai podes rechear com o que mais gostas.Esta receita ( da minha filha Simone "nossa crepeira oficial" )da para uns 40 crepes, se reduzirem para metade da para 20. Aconselho ater vários tipos de compotas ou doces e o insubstituível chocolate em creme, para poder rechear os crepes.

Ingredientes
500 gramas de farinha de trigo
150 gramas de açucar
2 colheres (das de sopa) de aromatizante "baunilha ou raspa da casca de laranja"
6 ovos
1 litro de leite
oléo que baste

Preparação
Numa vasilha misturar a farinha, o açúcar, os ovos e o aromatizante, acrescentar o leite pouco a pouco até ficar uma pasta  liquida e sem grumos. Deixar repousar de 15 a 20 minutos na própria vasilha tapada com um pano. Com uma Pela em lume baixo ponha um pouco de óleo ( muito pouco ) só a cobrir o fundo, verta um pouco de pasta das crepes e rodeie a Pela até cobrir todo o fundo, com ajuda de uma espatula de pau vire a crepe para que coza dos dois lados vire para um prato e repita a operação até acabar a pasta.

Bom Apetite

Entrecosto assado no forno à Alentejano

Na semana passada fizemos um prato do Alto Alentejo, hoje vamos fazer um do Baixo Alentejo, só que em vez de lombo vamos usar uma peça de entrecosto. Vamos la então para a cozinha.

Ingredientes
1 kg1/2 de entrecosto ( inteiro )
1 kg1/2 de batatas peguenas
1 copo de vinho branco
1 colher (das de sopa) de banha
1 colher (das de sobremesa) de colorau
2 laranjas
5 dentes de alho
pimenta em grão que baste
sal grosso
azeite

Preparação
Num almofariz pise o sal ( suficiente para temperar a carne ), os alhos descascados, alguns grãos de pimenta e o colorau. Com esta massa tempere a carne dentro de uma assadeira e tape com película aderente e deixe no frigorifico por duas horas para tomar gosto. Passado esse tempo retire do frigorifico e ponha as batatas descascadas a volta da carne, regue com vinho e a banha derretida e uma boa golpada de azeite. Vai ao forno assar durante cerca de 50 minutos ( entre 180 a 200 graus ), regando varias vezes a carne e as batatas com o próprio molho, se achar necessário junte um pouco mais de vinho. Quando as batatas ficarem macias e a carne bem alourada retire do forno e sirva enfeitado com gomos de laranjas, pode acompanhar com arroz branco ou legumes cozidos.

Bom Apetite

sábado, 16 de outubro de 2010

Lombo de Porco à Alentejana

Bem hoje resolvi fazer um prato tipico de Portugal, mais propriamente do Alentejo. Podemos dizer que a cozinha Alentejana é muito variável, graças a influencia Árabe e Moura em tempos remotos. Muito conhecido são os animais da raça suína Alentejana ( porcos ), que se caracterizam-se pela sua pele negra, sua carne é de grão fino, muito saborosa e suculenta.
Mas não tendo um bom lombo de porco Alentejano, vamos usar um lombo de porco normal e garanto-vos que o resultado é excelente.


Ingredientes
1 1/2 kg de lombo de porco
2 colheres (das de sopa) de massa de tomate
2 colheres (das de sopa) de pingue de porco "banha"
1 colher (das de sopa) de vinagre
1 limão (o sumo)
1 laranja (o sumo)
3 dentes de alho esmagados
1/2 copo de vinho branco
sal grosso que baste
azeite que baste


Preparação
Esfrega-se bem o lombo com sal e os alhos. Coloca-de numa assadeira, tempera-se com o sumo do limão e da laranja,vinho branco, vinagre e barra-se com o pingue e a massa de tomate. Deixa-se apanhar gosto por algumas horas ( no minimo 3 horas ). Findo esse tempo rega-se com azeite e vai ao forno assar ( uma hora aproximadamente), regando-se de vez em guando com o próprios temperos. Depois de assado, coloca-se numa travessa, rega.se com o molho coado e serve-se com batatas cozidas e aloiradas acompanhado com grelos salteados " receita 17/04/10".


Bom Apetite


domingo, 10 de outubro de 2010

Lulas com Natas



Recentemente apareceu no facebook uma reportagem sobre o restaurante O Gafanhoto (aconselho a visitar este restaurante, pois serve pratos muito tradicionais das nossas Gafanhas “ parabéns Paulo”), colocado por uma pessoa amiga, na qual outras duas pessoas amigas tiveram um pequeno desentendimento sobre “lulas com natas”.Claro que existe ( hoje em dia na cozinha tudo se pode fazer ), fui ao congelador vi que ainda tinha algumas lulas e resolvi fazer, procurei aqui nas minhas receita e fui para a cozinha. Na receita original este prato se faz ao lume num tacho na qual depois se acompanha com purê de batatas, ou arroz branco e batatas fritas, mas eu prefiro dar um ar mais vip e levo ao forno ( como o Bacalhau com natas Aqui) a gratinar. Não é dos meus preferidos, mas ate que não fica mal. 

Ingredientes
500 gr de lulas
500 gr de batatas ( para fritar ) 
1 Cebola grande 
4 Dentes de Alho 
1 Raminho de salsa 
1 Pacote de Natas 
1 Copo de vinho branco
Molho bechamel que baste (Aqui )
sumo de limão
1 colher (das de café ) de noz moscada
1 colher (das de café ) de colorau
1 colher ( das de café ) de pimenta
1 colher ( das de café ) de azeite
1 colher (das de café ) de caril
Sal que baste

Preparação
Depois das lulas bem lavadas e limpas, corte-as em rodelas com cerca de cinco mm de espessura e guarde-as. Num tacho com azeite deite os alhos esmagados e a cebola bem picada, quando a cebola começar a ficar translucida acrescente temperos, sal, pimenta, colorau e caril deixem refogar um pouco e deite as lulas cobra-as com o vinho branco e deixe-as cozer. Descasque as batatas e corte em palitos bem finos e frite em azeite. Enquanto isso adicione as lulas já meio cozidas o sumo de limão e as natas a salsa picadinha e deixe ferver por cerca de 5 minutos. Num pirex deite as batatas fritas e por cima as lulas e cobra tudo com molho bechamel, leve a gratinar em forno moderado e sirva.


Pode acompanhar com uma boa saladinha de alfasce.

Bom Apetite

sábado, 2 de outubro de 2010

Caldeirada de Bifanas

As caldeiradas são pratos tradicionais do norte de Espanha e Portugal, preparada antigamente pelos pescadores com os peixes que ficavam presos nas redes e não servia para vender. Os restantes ingredientes era o que avia por ali a mão, batatas, alhos, cebolas, azeite louro e pimentos vermelhos. hoje em dia são mais bem elaboradas, na qual se adicionaram algumas especiarias, consoante a região e os seus costumes  Vou sugerir que troquem os peixes por bifanas ( bifes de porco cortado ligeiramente mais finas), verão que o resultado sera excelente.


Ingredientes
2 kg de bifanas
1 1/2 kg de batatas
2 tomates bem maduros
3 cebolas
4 dentes de alho
1 pimento vermelho
2 folhas de louro
1 ramo de salsa
1 colher (das de café) de colorau
1 colher (das de café) de açafrão
1 copo de vinho branco
azeite
sal grosso
piripiri a gosto 


Preparação
Corte as batatas e as cebolas as rodelas, os alhos laminados, o pimento as tiras e os tomates triturados, reserve. Num tacho largo ponha no fundo uma camada de cebolas, e vá pondo os ingredientes por camadas na seguinte ordem; batatas, bifanas, alhos, pimento, tomate, colorau, açafrão, sal e piripiri, repita  ate acabar os ingredientes, por cima de tudo ponha o ramo de salsa e o louro, regue com azeite e o copo de  vinho branco mais outro copo de água.
Deixe levantar fervura destapado, quando estiver a ferver reduza para minimo e deixe cozer tapado + ou - 1/2 hora. Retire a salsa e o louro e sirva numa travessa.


Bom Apetite

sábado, 25 de setembro de 2010

Lulas Estufadas com batatas

Lulas por aqui são chamados de Calamores, em 24/07/10 utilizamos para acompanhar com  Salada Russa.
As lulas cortada as rodelas e passadas em ovo e farinha, da-se o nome de á Romana, mas podem-se estufar ou até rechear. As recheadas ficam para outro dia, e hoje vamos fazer estufadas. Podem-se estufar simplesmente e depois acompanhar com arroz branco , massas ou batatas, eu prefiro incluir as batatas na preparação.
Também penso que não vou dizer nada de novo, pois este e um prato muito simples e praticamente toda a gente sabe fazer, mas mesmo assim aqui fica a minha receita, na qual utilizei lulas grandes (de 15 a 20 cm).


Ingredientes
1 kg de lula1 kg de batatas
1 chouriço vermelho (tipo colorau)
1 cebola media
2 dentes de alho
2 tomates bem maduros
1 malagueta (piripiri)
2 cenouras medias
100 gramas de ervilhas
1 copo de vinho branco
sal 
azeite


preparação
Num tacho bem largo ponha a malagueta com um pequeno golpe ( ter atenção ao mexer para não esmagar a malagueta, pois pode ficar muito picante ), a cebola picada e os alhos picados com uma boa golpada de azeite, quando a cebola começar a ficar translúcida acrescente a chouriça as rodelas, os tomates picados e as lulas aos pedaços ( depois de bem limpas e passadas por varias águas ), tempere de sal e mexa, acrescente o vinho deixe ferver durante uns 5 minutos, a seguir ponha as batatas aos pedaços, as cenouras as rodelas e as ervilhas, cubra com água e deixe cozinhar durante uns 30 minutos com o tacho destapado.

Bom Apetite

domingo, 19 de setembro de 2010

Strogonoff de verduras

Como tinha dito na receita de "15/05/10" que este prato pode ter muitas variações, aqui esta uma outra maneira de o fazer. Seguimos a mesma a receita original , só acrescentando mais alguns ingredientes, ( legumes ) assim como podemos só usar os mesmos. Eu prefiro por alguma coisa de carne, mas se usar só legumes o resultado também sera bom.


Ingredientes
1 bife de vitela cortado as tirinhas (+ ou - 100 gramas )
250 cl de natas
50 gramas de manteiga
2 colheres ( das de sopa ) de óleo de girasol
2 colheres ( das de sopa ) de vodka
Farinha de trigo que baste
200 gramas de cogumelos laminados ( preferencia frescos )
1 cebola picada
1 beringela aos pedaços
1 courgete aos pedaços
2 tomates picados
2 dentes de alho bem picadinhos
1/2 pimento vermelho aos pedaços
1/2 pimento verde aos pedaços
1/2  copo de vinho branco
pimenta
salsa
sal

Preparacão
Numa sertã ponha o óleo e a manteiga a derreter e frite as tirinhas de bifes repassadas em farinha, acrescente a cebola, o pimento vermelho, o pimento verde, o curgete, a berinjela, os dentes de alho e os cogumelos e deixe refogar um pouco, verta por cima a vodka e inflame ( pegar fogo para que perca o álcool ). Tempere de sal e pimenta e acrescente o vinho ( se necessário acrescente um pouco de água ), deixe levantar fervura e colocar as natas, os tomates e salsa picada, mexa bem e deixe ferver um pouco. Pode-se servir com massa ou arroz branco (ver receita 23/01/2010 )e batatas fritas.

Bom Apetite

sábado, 18 de setembro de 2010

Ossobuco " no forno"

Na receita de 22/01/10 fizemos ossobuco de perú com molho leitão, mais tarde em 05/06/10 continuamos com ossobuco de perú mas de uma maneira mais trópical e feita ao forno.
Como prometi hoje trago a receita do ossobuco de vitela, normalmente esta receita e feita ao lume ( que é a maneira mais tradicional de o fazer ), mas eu prefiro no forno pois concentra melhor o sabor, e a repartição de calor e melhor. Ter em conta que quando for comprar o ossobuco  prefira os mais pequenos e mais altos ( os maiores espalham-se muito ), e certifique-se de serem da perna traseira da vitela ( vaca ou boi se preferir ), pois são menos fibrosos e mais suculentos, bem vamos lá a receita.


Ingredientes
4 rodelas de ossobuco (+ ou - de 5 centímetros de altura )
1 kg de batatas medias 
2 cenoura
2 dentes de alho
2 tomates bem maduro sem sementes
1 cebola grande
1 malagueta de piri-piri
1 copo de vinho branco
1/2 litro de água
farinha de frigo
azeite
salsa
louro
tomilho
sal grosso

 Preparação
Passe as rodelas de ossobuco pela farinha, numa frigideira ponha a aquecer o azeite e quando estiver bem quente aloure  as rodela de ossobuco dos dois lados (2 ou 3 minutos de cada lado ), reserve. Num tacho ponha o vinho e água a aquecer, tempere com sal, e junte o piri-piri com um pequeno golpe, junta-lhe também as cenouras raladas, a cebola, os alhos e os tomates bem picados, com o louro,a salas e o tomilho faça raminho bem atado e introduza também no tacho, deixe levantar fervura e ponha os ossobucos, deixar ferver durante 1/2 hora.
Ao fim desce tempo retire do preparado o raminho de cheiros e o piri-piri. Verta todo o preparado para um tabuleiro de ir ao forno, juntamente com as batatas cruas. Vai ao forno já pre-aquecido durante 1 hora a temperatura de 250 graus. Sirva com azeitonas verdes recheadas com alcaparras.


Bom Apetite






sábado, 11 de setembro de 2010

Grelhados misto "Rodízio à brasileira"

Já aqui falei de "Grelhados mistos"Parrilha" (receita 05/06/10 ), hoje vou deixar uma outra maneira de fazer, desta vez um pouco mais abrasileirada. Ali no Brasil e muito frequente reunir a família e os amigos para um " churrasco", termo ai usado para denominar grelhados mistos. Como podem ver ai usa-se como acompanhamento o arroz, feijão preto, farofa (Aqui receita 23/01/10 ), na vez da celebre batata frita que se usa nos países europeus. Temos também ai uma saladinha tipo mineira, muito tradicional nos dias de churrasco. Ou seja ai também se usa o termo "Rodízio", mais nos restaurantes, para denominar a frequência que se serve os vários tipos de  carnes grelhadas, mas nos não estamos no brasil portanto a que improvisar  Para ser perfeito só falta mesmo um bom dia de sol e umas cervejinhas bem geladinhas.

Ingredientes; para os grelhados
200 gramas de entrecosto de porco
200 gramas de entremeada
200 gramas de salsichas fresca ( se for tipo toscana melhor )
200 gramas de asas de frango ou coxas
200 gramas de entrecosto de vitela
200 gramas de alcatra
sal grosso


Preparação
Depois de ascender as brasas e de elas estarem bem vivas (vermelhas), ponha as carnes a grelhar, e vá salpicando com sal grosso para temperar.


Ingredientes; para a salada
1 pimento médio vermelho picado
1 pimento médio verde picado
1 pimento médio amarelo picado
1 cebola media picada
100 gramas de milho doce
sal fino 
azeite
sumo de limão


Preparação
Misture todos os ingredientes e tempere com o sal,azeite e sumo do limão


Ingredientes; para o feijão preto
400 gramas de feijão preto cozido ou em lata ( pré-cozido )
2 dentes de alho picado
100 gramas de toucinho fumado cortado em tiras
1 tomate bem maduro
1 cebola media picada
1 folha de louro 
azeite


Preparação
Num tacho ponha uma boa golpada de azeite e comece por fazer um estrugido com a cebola, os alhos, o tomate, o louro e o toucinho, acrescente um pouco de vinagre para amaciar os temperos, levante fervura e ponha os feijões e uma doze igual de água, deixe ferver bem e esta pronto. Para preparação da farofa e do arroz branco ver receitas do dia 23/01/2010.

Bom Apetite



Arroz de legumes

Pois aqui estou eu a continuação a falar de arroz, hoje vou falar do arroz de legumes, que pode servir de acompanhamento em vários pratos ( panados, peixe frito,bifes,etc ). No arroz de legumes podes usar os mais variados tipos de legumes, segundo o gosto de cada um. Eu o faço de varias maneiras, as vezes ponho milho doce ou nozes, até já cheguei por passas ( na altura do natal ). Este arrozinho servi com uma boa tira de churrasco de vedella ( receita 17/01/10 ) estava uma delicia.

Ingredientes
400 gramas de arroz agulha
100 gramas de repolho cortado em tiras 
100 gramas de feijão verde cortado (vagens)
100 gramas de toucinho fumada em tiras
100 gramas de ervilhas
1 cenoura ralada
1 cebola media picada
2 dentes de alho picado
1/2 pimento vermelho picado
azeite
sal


Preparação
Num tacho ponha  azeite até cobrir o fundo, comece por por o toucinho e quando começar a fritar ponha a cebola, os alhos, o pimento e a cenoura, alourar tudo durante uns 5 minutos, de seguida acrescente os legumes e mexendo sempre deixe alourar mais 5 minutos. Findo este tempo acrescente o arroz, remexa tudo e acrescente água (2 medidas de água para 1 de arroz), tempere de sal e deixe cozer durante + ou -  15 minutos. Esta pronto, sirva com o que mais te apetecer.


Bom Apetite

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

Arroz de frango no forno á Zezão

Hoje resolvi fazer um prato de arroz, na receita 23/01/10 dei umas dicas de como fazer um bom arroz. Hoje em dia o arroz esta na culinária de todo o mundo por ser muito versátil proporcionando deliciosos pratos, assim como imaginativos acompanhamentos. O arroz segundo uns originário da Ásia Meridional e do norte da Austrália, segundo outros da Índia e da China, o certo é que já existe há cinco mil anos. Na cozinha Portuguesa são manjares justamente afamado o arroz de lampreia, o de cabidela (07/08/10), o de pato, o de amêijoas e como sobremesa o arroz-doce, prato nacional indispensável em bodas e batizados. Na cozinha Espanhola é celebrado o arroz á valenciana ou as paellas. E do Oriente veio o arroz de caril, iguaria picante que já conta com muitos apreciadores  Todos nós sabemos do velho costume em atirar-se arroz cru aos noivos após a cerimoniado casamento, com este gesto deseja-lhe riqueza e prosperidade. A tradição teve origem dois mil anos antes de cristo, num Mandarim que ao casar a filha quis mostrar a sua riqueza  e nada melhor que utilizar arroz, simbolo de fartura, que mandou atirar em grande quantidade para as terras dos noivos.Aqui fica a minha receita muito simples e saborosa e lembre-se que, A tradição ainda é o que era.

Ingredientes
1 frango (até 1.2 kg)
500 gramas de arroz
100 gramas de toucinho fumado
1 cebola grande
1/2 pimento vermelho
2 cenouras
2 dentes de alho
1 copo de vinho branco
salsa
sal
azeite
tabasco

Preparação
 Depois do frango limpo corte aos pedaços pequenos e num tacho com azeite aloure toda a carne, entretanto pique a cebola,os alhos, o pimento e a salsa, rale as cenouras e corte o toucinho aos pedacinhos, junte tudo e deixe ao lume mais 5 minutos a alourar, tempere de sal e tabasco a gosto, introduza o vinho branco e deixe levantar fervura, junta-lhe o arroz e a água(1 medida de arroz para 2 de água) e deixe cozer, guando estiver a ponto de secar verta para uma travessa de ir ao forno, leve ao forno 180 graus durante 15 ou 20 minutos. Para acompanhar pode ser uma salada de tomates com oréganos.

Bom Apetite



domingo, 5 de setembro de 2010

Coelho à Zezão

Para preparar coelho a varias maneiras, o importante e saber que o coelho fica sempre mais saboroso deixando-o temperado inteiro ou aos pedaços, com sal,sumo de limão,vinho maduro tinto,2 dentes de alho picadinhos e louro, pelo menos durante 2 horas, ( de um dia para o outro melhor ). Esta receita e fruto de varias maneiras de fazer coelho, ( gosto de inovar e troco alguns ingredientes ) pode-se dizer que e muito parecida com o coelho a trasmontana.

Ingredientes
1 coelho grande e gordo
125 gramas de tiras de toucinho fumado
1 cebola grande
1 colher (das de sopa) de manteiga
2 colheres (das de sopa) de de banha de porco (pingue)
1 colher (das de sopa) de farinha de trigo
1 ramo de salsa
2 dentes de alho
2 chávenas (das de chá) caldo de carne
1 chavena (das de chá) de vinho maduro branco
1 latinha de azeitonas verdes(sem caroço)
azeite que baste
pão saloio que baste
sal


Preparação
Depois de deixar o coelho cortado aos pedaços nos temperos descritos em cima, (no minimo 2 horas) retire-os e deixe escorrer, entretanto num tacho deita-se o pingue, a manteiga e uma golpada de azeite e aloire a cebola aos gomos os alhos picados e o toucinho, retire estes ingredientes e reserve, na gordura que ficou deita-se os pedaços de coelho para alourarem um pouco mexendo sempre. polvilha se com farinha de trigo e logo que esta fique loira, acrescenta-se-lhe o caldo de carne (dissolver um cubo de carne em água quente),  o vinho e o ramo de salsa atado, deixar no lume uns 20 minutos, incorporam-se-lhe então as cebolas com os alhos e toucinho anteriormente aloirados, por em lume brando e quando estiver pronto, ( retira-se o ramo de salsa )mistura-se a lata das azeitonas.

Servir sobre fatias de pão saloio torradas acompanhado com legumes variados cozidos


Bom Apetite