Traductor

sábado, 29 de maio de 2010

Caldo-verde


O Caldo verde é uma sopa de couve galega ou a dita couve de penca (portuguesa), tipicamente do norte de Portugal, mas muito divulgada por todo o país, é provavelmente a mais famosa sopa portuguesa. É uma sopa geralmente espessa e de cor predominantemente verde, uma vez que é feita com couve cortada às tiras bastante finas
É costume consumir caldo-verde nas festividades dos santos populares, o caldo-verde a par com a canja de galinha ( ver aqui ), é das sopas tipicamente portuguesas mais fáceis de preparar e das mais populares.

Ingredientes

500 gramas de folhas de couve galega ( so verdes )
1 kg de batatas
1 chouriço vermelho
1 cebola
1 dente de alho
1 colher (das de sopa ) de banha de porco
azeite
sal

Preparação

Lavar bem as folhas de couve, enrolar e cortar em tirinhas bem fininhas, reserve. Numa panela ponha 2 litros de água, as batatas descascadas cortada em quatro, a cebola descascada e cortada em gomos, o alho descascado e a banha de porco, levante fervura temperar de sal e deixe cozer ate as batatas ficarem macias, quando estiver cozido retire tudo com um pouco de caldo para uma vasilha e triture tudo com o triturador até ficar um batido bem espesso, reserve. No resto do caldo que ficou na panela ponha as couves e deixe cozer ( se necessário acrescentar mais um pouco de água e retificar o sal ), quando as couves estiverem cozidas acrescentar o batido das batatas, mexer e deixar apurar um pouco. Servir com rodelas de chouriço ( depois de cozido inteiro só em água ) e um fio de azeite por cima.

Bom Apetite

Obs: Uma das 7maravilhas da gastronpmia portuguesa

Sardinhas assadas


É com certeza um dos pratos mais típicos de Portugal, de norte ao sul, de leste ao oeste se prepara de varias maneiras, mas a mais popular são as grelhadas na brasa ( ou assadas ), em cima de uma fatia de broa, com salada de pimentos,batatas cozidas, salada de tomates, como queiras, enfim são sardinhas, e sendo portuguesas ( únicas no mundo com certificado de qualidade ), são uma maravilha, tem um cheirinho e gosto a mar que nos faz água na boca.
Em Benavente (Portugal ) a sardinha assada se tornou numa festa da vila onde vão pessoas de todo o país. Esta é uma festa realmente de Amizade onde os habitantes de Benavente tem todo o gosto de receber as pessoas que queiram passar um dia animado e diferente. E friso para quem gosta da Sardinha assada. No Sábado à noite ( dia da festa ),há Sardinhas, Pão e Vinho de borla para todas a gente. Há fogareiros numa rua que vai de uma ponta à outra de Benavente e durante toda a noite vão reabastecendo. São mais de 5000 Kg de Sardinhas e Litros de Vinho e uns quantos Pães. Claro que eu aqui não tenho um fogareiro ( vivo num apartamento ), mas não deixei de comer umas sardinhas, e com certeza são portuguesas ( pescadas pelo meu cunhado Fernando Calisto, trazidas para aqui dentro de um garrafão plastico com água do mar "congeladas" ).

Ingredientes

sardinhas ( de preferencia Portuguesas )

sal grosso

Preparação

Passar as sardinhas por água fria ( sem as lavar ) e salpicar com sal grosso, por a grelhar ( neste caso usei um grelhador elétrico ), virando para grelhar dos dois lados.
Sugestão para servir
Com batatas cozidas com a pele e uma boa salada de tomates

Bom Apetite

Obs: Uma das 7 maravilhas da gastronomia portuguesa

feijão-e-arroz com panados


O prato "Feijão com arroz" (ou "Arroz-e-feijão") é o nome dado a um prato típico da América Latina. Essa receita não tem uma origem certa, possivelmente sera fruto de uma combinação do arroz (de origem oriental) levado pelos portugueses ao Brasil com o feijão, que já seria consumido no Brasil pelos índios . Outra versão afirma que esse prato foi a união do arroz com a feijoada, que tem origem Portuguesa. O que se sabe é que ao longo dos séculos esse prato foi se popularizando em Portugal e no Brasil, passando a ser quase que indispensável na refeição dos brasileiros. Em Portugal onde o feijão é a base de várias sopas e da feijoada, misturado com arroz ( Arroz-de-feijão ), para acompanhar com peixe frito ou panados.

Ingredientes

500 gramas de feijão branco ( querendo pode usar outro tipo )
100 gramas de toucinho fumado
100 gramas de chouriça vermelha
250 gramas de arroz
600 gramas de lombo de porco fatiado
1 colher (das de chá ) de pimentão doce
1/2 copo de vinho branco
1 tomate bem maduro
1 cebola grande
3 dente de alho
1 folha de louro
3 ovos
farinha de trigo que baste
farinha de pão ralado que baste
azeite
sal
pimenta
tabasco

Preparação

De véspera demo-lhe o feijão em água, no dia ponha a cozer sem sal ( querendo pode usar feijão pré-cozido em frasco ou enlatado, que da menos trabalho). Comece por temperar as fatias de lombo com sal, pimenta e um dente de alho bem picadinho, reserve. Entretanto vá preparando o arroz, num tacho ponha 1/2 cebola e um dente de alho picados em azeite, leve ao lume a aloirar, acrescente o arroz e a água ( 1 de arroz para 2 de água ), mexa e tempere de sal, levante fervura ate a água começar a secar, reduza o lume e deixe cozer em lume muito fraco. De seguida noutro tacho ponha a outra 1/2 cebola e o o alho picado com a folha de louro a estrugir em azeite, acrescente umas gotas de tabasco, o Pimentão doce, o tomate bem picado e o vinho branco, levante fervura e acrescente o toucinho e a chouriça aos pedacinhos, deixe apurar um pouco, ponha os feijões e acrescente água suficiente para fazer um bom caldo, tempere de sal e deixe apurar, apague o lume. Agora vamos preparar os panados, comece por passar as tiras de lombo pela farinha de trigo, depois pelos ovos ( já batidos ), repasse na farinha de pão ralado e vai a fritar em óleo ( ter atenção para que o óleo não esteja muito quente ), quando estiver bem dourados, retirar e por em cima de guardanapos para secar o óleo, colocar em travessa e servir.

Bom Apetite



sábado, 22 de maio de 2010

Coelho na coçoila




Uma caçarola ou caçoila é um utensílio culinário da família das panelas, ou seja, um recipiente geralmente com tampa utilizado para cozinhar sobre as bocas de um fogão. Neste caso a caçoila ou caçoula é uma espécie de panela feita de argila ( barro ) ou metal, de diâmetro maior que a altura. É utilizado na cozinha para fazer ensopados e guisados. No norte de Portugal este tipo de utensílio é muito usado com vários tipos de carnes, este prato vem da beira Alta, mais propriamente de Eirô ( Coelho à moda de Eirô ). Esta receita foi pedida pelo meu amigo Paulo Bola, espero que gostes.

Ingredientes
1 coelho bem grande
100 gramas de toucinho fumado ( cortado as tiras )
2 cebolas medias
2 dentes de alhos
1 colher (das de sopa ) de farinha
1 folha de louro
3 cravos-da-índia
1 tomate bem maduro
2 copos de vinho Branco de boa qualidade ( sé preferir pode usar tinto )
pimenta
azeite
salsa
sal

Preparação
Limpe e corte o coelho em pedaços pelas juntas, deixe numa marinada de um dia para o outro, feita com os alhos picados, o louro, a pimenta, os cravinhos e o vinho. Coe os pedaços de coelho da marinada e separe, reserve. Leve ao lume uma caçoila com o toucinho e um pouco de azeite, quando começar a aloirar acrescente os pedaços de coelho e frite virando a carne varias vezes, tempere de sal e adicione as cebolas as rodelas e refogue. Polvilhe com a farinha e cubra com água a ferver, adicione o ramo de salsa e o tomate triturado. Tape a caçoila e deixe cozer durante uma hora + ou -. Quando a carne ficar macia retifique os temperos e retire o ramo de salsa, já fora do lume enfeite com pão saloio tostado e sirva.
Sugestão para o acompanhar
Legumes cozidos e salteados com feijão branco

Bom Apetite




Rancho a Beirão


Rancho em gastronomia quer dizer, ração alimentar que é feito geralmente no mesmo ensopado, ou seja uma parcela de alimento que corresponde a cada soldado ou condenado, em quartéis e prisões. Em Portugal na zona norte é um dos pratos que talvez em tempos feito em grandes quantidades para matar a fome a muita gente.

Ingredientes

300 gramas de grão de bico demolhado
200 gramas de massa cortada ( em canudos )
500 gramas de carne de vaca
500 gramas de entrecosto de porco ( temperado de véspera de sal )
250 gramas de toucinho entremeado ( temperado de véspera de sal )
1/2 galinha gorda
1 chouriça vermelha ( de colorau )
1 chouriça de carne ( tipo caseira )
1 couve lombarda
4 batatas
3 cenouras
pimenta
sal

Preparação

Coza o grão em água se m sal, a parte coza as carnes em água temperada com sal ( ter atenção ao sal das carnes ). Coe depois os dois caldos e leve de novo ao lume, quando levantar fervura, junta-lhe as batatas cortadas em quatro, as cenouras as rodelas e a lombarda em pedaços, assim que levantar fervura acrescente a massa. Retifique de sal e tempere de pimenta, 5 minutos antes de retirar do lume, junte as carnes cortada aos pedaços e as chouriças as rodelas.

Bom Apetite

Aletria


Aletria (do árabe al-irtiâ) é uma massa em fios finos que é utilizado para fazer sopas e doces, neste caso Aletria com ovos é um doce utilizado na culinária Portuguesa e é servido no Natal.Por isso a aletria Portuguesa, tem origem na longínqua história da península ibérica, anteriormente designada por Al-Andalús, faz-se um pouco por tudo o país, com mais ou menos massa, com ou sem gemas, nas Beiras a aletria é de consistência compacta, para se poder cortar à fatia, já no Minho a sua consistência é mais cremosa. Como hoje apresento pratos do norte nada melhor do que uma receita muito popular nessa região. a receita que apresento aqui é a moda da Beira Alta.

Ingredientes

2 folhas de laranjeira ( ou casca muito fina de uma laranja )
280 gramas de açucar
350 gramas de massa para aletria
6 dcl de leite
1 colher ( das de sopa ) de manteiga
5 gemas
canela moida para decorar
sal

Preparação

Ferva durante 5 minutos um litro de água com uma pitada de sal e as folhas de laranjeira ou a casca, junta-lhe depois a aletria desfiada, deixe ferver mais 5 minutos, escorra e rejeite a água. Volte o tacho ao lume com o açúcar e o leite,quando retomar fervura retire as folhas de laranjeira. Deixe ferver com o tacho destapado cerca de 5 minuto mexendo sempre, retire do lume e acrescente a manteiga e misture bem, deixe amornar e junta-lhe as gemas bem batidas. Vai ao fogo novamente ( muito fraco ), mexendo delicadamente com um garfo de madeira até as gemas cozerem ( sem deixar ferver demasiado ). Deite o doce em travessas ou em pratos e enfeite com a canela.

Bom Apetite

sábado, 15 de maio de 2010

Strogonoff


Strogonoff, Stragonoff, Estrogonofe ou seja la como se chama e um prato de origem Russa, com varias historias da sua origem, conta-se que surgiu na região de Novgorod, próximo a São Petersburgo no século XIV. A baronesa Nikolie Stroganoff serviu um prato com cebolas picadas, cogumelos, carne suína e bovina cortadas em tiras,inflamado à vodka e engrossado com polpa de tomates e natas, para ser servido em cima de torradas de fécula de trigo.Depois da revolução de 1917, a deliciosa receita que levou o nome da nobre cozinheira chegou à França e ganhou um molho béchamel. Outra historia diz que. tudo começou no século XVI por meio da alimentação dos soldados russos, os quais comiam rações de carne cortadas em barris com sal grosso e aguardente para preservar o alimento.Por meio de um cozinheiro do Czar russo, Pedro o Grande, a comida foi melhorada e refinada. O general que protegia o cozinheiro se chamava Strogonov; daí surgiu a ideia de dar tal nome ao prato, posteriormente com a Revolução de 1917 e a imigração dos russos para a Europa, a receita chegou à França, onde foi refinada mais ainda. Uma outra historia conta que o prato leva o nome de uma rica família de comerciantes russos, os Stroganov, que tinham um cozinheiro francês, responsável pela criação do prato. Uma coisa é certa “Strogonoff ou Stroganov é um clássico da cozinha russa, adaptado pela cozinha francesa, ou talvez nome vem simplesmente do verbo russo “strogat”, que significa cortar em pedaços (no caso, a carne). No Brasil é um prato muito apreciado e popular onde tem muitas variações como o uso de carne de frango ou com camarões. A principal característica do Estrogonofe brasileiro é o uso de molho de tomate misturado com o creme de leite ( natas ). Além disso, é quase sempre servido com uma porção de arroz, na Rússia era geralmente servido com batatas cozidas. Aqui fica a minha receita, simples mas muito saborosa.

Ingredientes

500 gramas de bifes de vitela ( ou vaca ) cortado em tirinhas bem finas
200 gramas de cogumelos laminados ( preferencia frescos )
250 cl de natas
50 gramas de manteiga
2 colheres ( das de sopa ) de óleo de girasol
2 colheres ( das de sopa ) de Ketchup
2 colheres ( das de sopa ) de vodka
Farinha de trigo que baste
1 cebola picada
1 copo de vinho branco
pimenta
salsa
sal

Preparacão

Numa sertã ponha o óleo e a manteiga a derreter e frite as tirinhas de bifes re-passadas em farinha, acrescente a cebola e os cogumelos e deixe refogar um pouco, verta por cima a vodka e inflame ( pegar fogo para que perca o álcool ). Tempere de sal e pimenta e acrescente o vinho, deixe levantar fervura e colocar as natas, ketchup e salsa picada, mexa bem e deixe ferver um pouco. Pode-se servir com massa ou arroz branco (ver receita 23/01/2010 )e batatas fritas.

Bom Apetite

Couve-flor "au gratin"




É indispensável, seja qual for o fim que se destina a couve-flor´prepara-se da seguinte maneira. Depois de se tirarem as folhas lava-se e deixa-se em água com vinagre, para largar qualquer bichinho que possa ter, lava-se em água simples novamente antes de ir para o tacho. Se for para fazer em pedaços, corta-se ao meio e depois divide-se no numera de pedaços que se quiser, o tacho enche-se de égua ate cobrir a couve, para não escurecer e tempera-se de sal, deve cozer destapada para ficar branca. depois de cozida retira-se do tacho com uma escumadeira e põe-se a escorrer, se quiser cozela inteira coloca-se de cabeça para baixo ( para conservar a forma redonda ) dando um golpe em cruz no pé para que tempere, retire e deixe escorrer também de cabeça para baixo. Pode ser usada num numero imenso de pratos, em saladas, vinagretas, etc. aqui apresento uma maneira que vai bem com assados ou para comer simples.

Ingredientes

1 kg de couve-flor

manteiga que baste

queijo ralado ( a seu gosto )

pão ralado que baste

Preparação

Depois da couve-flor cozida e escorrida parte-se em ramos. Unta-se com manteiga um prato pirex e polvilha-se com queijo e pão ralado e vai-se enchendo com os ramos da couve, deitando-se de vezem quando uns pedaços de manteiga e queijo ralado. Logo que o prato esteja cheio, polvilha-se com o pão ralado, deita-se em cima uns pedacinhos de manteiga e leva-se ao forno a gratinar. Sirva bem quente.

Bom Apetite

Molho Bechamel


O molho bechamel se obtém fervendo farinha (ou maisena) em manteiga ou margarina diluindo depois com leite. O Bechamel é ainda base de muitos outros molhos, sopas, cremes, recheios e soufflés. Segundo alguns, este molho teria sido criado por um jovem cozinheiro do século XIX, o francês Antoine Carême, considerado o primeiro chefe-celebridade. No entanto, o nome Bechamel poderá vir de Louis Béchameil, Maître d'hotel do rei Luís XIV, outra vertente diz que procede de uma receita mais antiga levada para a frança pelos cozinheiros de Catalina de Médici (Duquesa italiana casada com Enrique II de frança em 1533).
 A receita original tem ao longo dos anos sofrido varias modificações( na receita original leva cebolas e cenouras).Esta é a minha receita simples para este molho.

Ingredientes
40 gramas de manteiga
30 gramas de farinha de trigo
5 dcl de leite
1/2 limão ( só sumo )
sal e pimenta

Preparação
Ponha num tacho a manteiga que se leva ao lume até ficar espumosa. Adiciona-se-lhe então a farinha e mexendo sempre o leite quente, mexendo sempre até cozer. Tempera-se com sumo de limão, sal e pimenta.

Bom Apetite

sábado, 8 de maio de 2010

Sopa de vinhodalhos


Marinada tipicamente Portuguesa, outrora levada para Índia pelos marinheiros na época dos descobrimentos, onde deu origem a um prato o Vindalhos. Trata-se de uma marinada a base de vinho,alho,sal e especiarias, na qual se coloca as carnes a tomar gosto pelo menos durante dois dias. Esta marinada é praticamente obrigatória nos pratos de Coelho. Nas Gafanhas era muito usada noutros tempos para temperar certas carnes de porco, mais na altura das matanças do porco, na qual sé colocava as tripas e bucho ( depois de bem lavadas ), os coiratos nesta marinada, possivelmente para conservar por mais tempo as carnes ( ainda não existia as arcas congeladoras ), assim como o resto das carnes do porco em sal grosso ( salgadeira ). Na Gafanha do Carmo ( minha aldeia ), ainda hoje se utiliza os vinho-de-alhos,  actualmente não feito em casa mas comprado em talhos ou na "Praça" ( mercado tradicional realizado todos os sábados na Gafanha da Nazaré )

Estes vinhodalhos vieram da Gafanha do Carmo, mais propiamente do TalhoFaty ( Mario da Fátima ), que-os-faz muito bem. Querendo pode fazer em casa basta arranjar tripas, bucho e coiros de porco e por em vinho tinto ( preferencia ), alhos esmagados, sal grosso e uma pitada de pimenta durante alguns dias mexendo de vez em quando.

Ingredientes

500 gramas de vinhodalhos escorridos
1 morcela ( tanbem do Mario da Fátima )
1 churiço de carne (tanbem do Mario da Fátima )
1 cebola, descascada
3 cenouras, descascadas
500 gramas de batatas, descascadas
200 gramas de Massa meada
1 molhe de couves Portuguesas, lavadas
sal

Preparação

Numa Panela alta ponha em água fria todos os ingredientes, os vinho-de-alhos aos pedaços, os enchidos inteiros, as cenouras,e as batatas cortado em quatro,a cebola ao meio, as couves inteiras e por cima a massa meada, levante fervura e retifique o tempero de sal e deixe em lume brando até cozer. Quando estiver cozido retire os enchidos para cortar em troços e ponha novamente na sopa.

Bom Apetite

Iscas de cebolada


É um dos pratos mais tradicionais em Portugal, principalmente nas Gafanhas. Ainda me lembro de quando cheguei a Gafanha do Carmo ( tinha 12 anos ), fui comer a casa dos meus avós maternos, é o comer era Iscas fritas com cebolas, pensei que Horror, pois hoje já não penso assim e até compreendo quem não suporte de as comer, mas na verdade e um prato muito nutritivo e com o tempo se vai apanhando o gosto. A cebolada trata-se do celebre molho de escabeche ( salmoura ), que na próxima receita falarei um pouco.

Ingredientes

800 gramas de Figado de porco ( se preferir pode ser de vaca )
3 cebolas, as rodelas
4 dentes de alhos
2 folhas de louro
1 copo de vinho branco
vinagre q. b.
pimenta q. b.
sal q. b.
azeite

Preparação

De véspera ou umas horas antes corte o figado em bifes ( Iscas ) e tempere com o sal, pimenta, 2 dentes de alhos picados, 1 folha de louro partida e o vinho. Retire as iscas da marinada e numa sertã com azeite frite as iscas, reserve. Rejeite o azeite de fritar as iscas e coloque azeite novo e prepare um molho de escabeche com o resto dos ingredientes ( ver próxima receita ), no fim ponha por cima o que sobrou da marinada e levante fervura, verta por cima das iscas e sirva com batatas cozidas com a pele.

Bom Apetite

Carapaus com molho Escabeche


A palavra Escabeche vem do Catalão Escabetx, que por sua vez deriva do Árabe-Persa (Iskebech). Trata-se de uma marinada agridoce de preparo convencional ( origem Árabe ), feito a base de cebolas,vinagre, azeite,vinho, louro e pimenta. Em Portugal também se usa o termo Escabeche, mas o certo seria Salmoura. ( Carapaus com molho de Salmoura ). Tanto pode ser usado em fritadas de peixes como de carnes, muito usado em países de origem latinas.

Ingredientes

1 kg de carapaus ( médios )
3 cebolas, cortadas as rodelas
2 dentes de alhos, picados
1 folha de louro
3 decilitros de azeite
2 colheres ( das de sopa ) de vinagre branco
1 colher ( das de sopa ) de vinho branco
sal que baste
pimenta que baste

Preparação

Depois dos carapaus limpos, tempere com sal ( de preferencia grosso ), pimenta e limão, deixe repousar uma hora e frite em azeite e reserve. Numa sertã põe-se o azeite, o alho, o louro, as cebolas, sal e pimenta ao paladar e leva-se ao lume até que a cebola fique loira, mas não escura. Retira-se do lume, junta-se-lhe o vinagre e o vinho, abafa-se com um testo durante um ou dois minutos, não volta ao lume. Verta por cima do peixe e sirva com batatas cozidas com a pele.

Bom Apetite

domingo, 2 de maio de 2010

Rojões à moda do Minho


Prato tipico da região do Minho norte de Portugal. E um prato com vários ingredientes de porco, carne cortada aos quadrados, ( rojões )tripas enfarinhadas, chouriço de sangue com cebola,figado e sangue. Receitas mais antigas incluem bolacho e castanhas, hoje em dia emprega-se batatas ( de preferencias novas ). No Minho e servido com arroz de sarrabulho ou papas de sarrabulho.

Ingredientes

1 kg de carne de porco
250 gramas de tripas enfarinhadas
1 chouriço de sangue ou sangue cozido
1 kg de batatinhas novas
2 dentes de alhos
1 colher( das sobremesa )de colorau
2 folhas de louro
1 colher ( das de café ) de cominhos
100 gramas de pingue de porco
1/2 copo de vinho ( branco ou tinto )
1/2 limão
sal

Preparação

Corta-se a carne aos pedaços regulares, na qual se tempera com sal e pimenta, alhos esmagados, colorau, os cominhos, o sumo de limão, o louro e o vinho, mistura-se tudo muito bem e deixa-se a tomar temperos 24 horas ( durante este tempo deve-se mexer pelo menos 2 vezes ). Põe-se o pingue num tacho e logo que derreta, deitam-se os rojões que se deixam aloirar de todos os lados. Entretanto cozem-se as batatas em água temperada com sal ( não cozer muito ), retira-se os rojões e aloirar as batatas no mesmo pingue, retire e frite o chouriço de sangue e as tripas enfarinhadas, reserve, limpe as migalhas do pingue e reserve para fazer o arroz. Volte a por os rojões no pingue adiciona-lhe um pouco da marinada em que estiveram, tapa-se o tacho e deixa-se cozer em lume brando. feito isso junte com as batatas, as tripas farinhadas e os chouriço de sangue e ponha numa travessa para servir. Com as migas que retirou faça um arroz, podendo por um pouco de chouriço de sangue esmagados.

Preparação do arroz

Num tacho pequeno ponha as migalhas com um pouco de azeite e levante fervura, acrescente o arroz e 3 copos de água ( verificar o sal ), deixar cozer, deve ficar um pouco malandrinho.

Bom Apetite

Bacalhau à Narcisa


Também podem chamar Bacalhau à minhoto ou Bacalhau à braga, a sua origem tem em tempos muito antigos, segundo dizem que foi criado num restaurante de braga com o mesmo nome ( Narcisa ), como era muito procurado vários restaurantes do ninho faziam-no como prato principal e ainda hoje e um dos pratos mais feitos no alto Minho. É um prato de bacalhau frito no azeite na qual se fritam as cebolas e as batatas no mesmo azeite.

Ingredientes

4 postas de bacalhau já demolhadas
650 gramas de batatas as rodelas
2 cebolas grandes as rodelas
2 folhas de louro
3 cravinhos
1 colher (de chá ) de colorau
azeite
sal

Preparação

24 horas antes escalde o bacalhau em égua a ferver e deixe de molho em azeite, no dia frite no mesmo azeite e reserve de seguida frite as batatas e reserve, logo a seguir as cebolas reserve. Junte ao azeite da fritura o colorau, os louros partidos e os cravinhos inteiros, de uma fervura a tudo durante 5 minutos. Numa travessa coloque o bacalhau no centro, sobre este a cebolada e à volta as batatas, regue com o molho e sirva.

Bom Apetite

Canja de galinha


Prato tipico da Figueira da Foz, que era servido as pessoas mais débil, ou doentes por ser rico em gordura da galinha. No tempo das invasões francesas a Portugal era um prato muito servido as tropas, rápido e fácil de fazer e muito nutritivo. Segundo estudos e muito boa para combater gripes e resfriados, nas receitas mais antigas usava-se batatas, cenouras e hortelã, no Brasil se faz com arroz em vez de massa. A canja que voz apresento e só com masas, pois é como gosto mais, mas podem fazer com quiserem. Para fazer uma boa canja e necessário uma boa galinha e bem gorda, claro que não vamos usar a galinha toda, mas sim um peito e a parte de traz da galinha, que e mais gorda. O resto pode-se guardar para outros pratos.

Ingrediente ( receita original )
Meia galinha bem gorda
1 cebola grande
1 cenoura
2 batatas
hortelã ( se prefirir pode usar salsa )
massinhas ou arroz
sal
azeite

Preparação
Numa panela ponha a cebola picada a aloirar em um pouco de azeite, quando estiver translucidas acrescente as gorduras da galinha, tempere de sal e refogue um pouco, acrescente 3 litros de água a galinha e as batatas aos quadrados e a cenoura as rodelas deixe cozer bem. Quando estiver cozido retire e desfie a galinha, coe o caldo e ponha a cozer durante 15 minutos com as massinhas e o frango desfiado e um ramo de hortelã. Sirva bem quente.

Ingredientes ( foto )
1 peito de galinha mais as partes gordas
1 cebola
100 gramas de massinhas ( tipo pevide )
sal
azeite

Preparação
Numa panela refogue a cebola picada com as gorduras da galinha em um pouco de azeite, tempere de sal e ponha 2 litros de água e o peito e deixe cozer, quando estiver cozido retire o peito para desfiar e as gorduras para por fora, leve novamente o caldo ao lume com o peito desfiado e com as massinhas para cozer durante 15 minutos. Sirva bem quente.

bom Apetite