Traductor

quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

Pudim de abóbora



Natal, mais um ano e de ano para ano as coisas mudam. Hoje em dia com esta vida que levamos já nem sentimos o Natal, não pense o amigo que estou a falar de coisas banais como presentes, adornos e outras coisas mais. Falo da mágia, costumes e tradições que se vão perdendo, como o sapatinho a beira do borralho (borralho e o lugar onde se fazia a fogueira para fazer o comer nas antigas cozinhas) ou  lareiras, a ida a missa no dia de Natal, todos vaidosos exibindo uma peça de roupa nova, (que sé ganhou do menino Jesus ) os mais pequeninos falando do seu brinquedo novo. Se recuarmos a mais anos atrás nem era brinquedos nos sapatinhos, mas sim castanhas, figos secos e alguns chocolatitos em miniatura (sinos, bolinhas, ratinhos,etc. ). Agora temos o Pai Natal que dá os presentes a meias noite, não tenho nada contra esse velhinho simpático, mas preferia aquela euforia de acordar de manhã e ir correndo ver o que estava no sapatinho. (Aqui em casa mesmo não tendo borralho ou lareira, apesar de abrimos os presentes a meia noite, deixamos os sapatos perto da arvore de Natal, as minhas filhas gostam de ver que surpresa mais pode haver)
Já nem o Natal cheira como antigamente, sim senhor recuando tempos atrás, uns dias antes do Natal por toda casa cheirava a fritos e canela (bilharacos, rabanadas, azevias, etc.). Pouco a pouco vamos deixando de fazer estes doces tão tradicionais, hoje em dia queremos doces mais modernos , experimentar coisa novas (também contribuo um pouco para isso, tenho sempre doces novos no Natal, mas nunca deixo de ter os tradicionais). Já pensaram que os mais antigos só tinham aletria, bilharacos ou só rabanadas, ai as ricas rabanadas, doce que em qualquer casa portuguesa não pode faltar na mesa da consoada. Assim vamos mudando um pouco o Natal, cada terra ou país com os seus costumes e tradições sé vão alterando. Talvez daqui 100 ou 200 anos ninguém saberá entender por que deixar os sapatos a espera do menino Jesus.
Assim com muita pena deixo aqui uma receita mais moderna, mas que nunca na vida substituirá os tradicionais Bilharacos.

Ingredientes
500 gramas de abóbora sem casca e sementes
300 gramas de açúcar
100 gramas de coco ralado
6 ovos
1 chávena (das de chá ) de leite
1 colher ( das de sopa) de farinha maisena
1 colher ( das de sopa ) de raspa da casca de laranja (aqui com fazer)
1 pitada de sal
caramelo liquido que baste

Preparação
Corte a abóbora em pedaços e coza-os em água temperada com o sal, durante 20 minutos. Estando cozida escorra bem e esprema se necessário para retirar o Maximo de água e deixe arrefecer.Numa tigela reduza a abóbora a purê com ajuda de uma varinha mágica, adicione o coco ralado, o açúcar e a farinha maisena e mexa bem. À parte bata ligeiramente os ovos e misture com o leite, juntando-lhe a raspa de laranja. Junte ao preparado da abóbora e mexa muito bem. Ligue o forno a 180ºC e forre uma forma de pudim com caramelo liquido, verta-lhe o preparado e leve ao forno em banho-maria durante 1 hora aproximadamente. Retire do forno e deixe arrefecer dentro da forma em banho-maria, depois de arrefecido leve ao frigorifico e desenforme só na altura de servir.

Bom Apetite

Sem comentários:

Enviar um comentário