Traductor

sábado, 24 de março de 2012

Sepia a la plancha


 La Sepia em Português choco” é um molusco que tem pouca gordura, mas é muito rico em proteína de alta qualidade biológica, como ferro, magnésio, sódio, fósforo. Esta receita é adequado para todas as faixas etárias, especialmente para aqueles que devem realizar uma dieta baixa em calorias e gorduras, sem exceder a quantidade de azeite. Aqui compro congeladas, pois já vem praticamente lavadas e limpas, mas se usarem frescas a que lava-las bem e retirar as tripas.
Para acompanhar pode usar a receita de batatas para acompanhamento, ou servir com batatas à pobre uma receita que já aqui publiquei numa receita com salmão, só que resolvi caprichar mais na confecção das batatas

Ingredientes
4 sepias
4 dentes de alhos
Sumo de ½ limão
Salsa que baste
Sal que baste
Azeite que baste

Preparação
Aquecer bem uma chapa (plancha) de grelhar verta por cima um fio de azeite, coloque os chocos a grelhar cerca de 15 segundos de cada lado apertando firme contra a chapa com uma espátula, acrescentar os alhos esmagados e mais azeite se necessário, continue a grelhar mais 1 ½ de cada lado pressionando sempre com a espátula. Tempere de sal, regue com sumo de limão e sirva ainda quente com salsa picada.

Com Batatas à pobre


São umas batatas muito simples de fazer e podem tanto acompanhar peixe como carne, aqui deixo uma receita  mais bem elaborada, alem das tradicionais cebolas. 

Ingredientes
1 kg de batatas
1 cebola as rodelas
1 pimentão italiano (estreito e comprido) as rodelas
1 lata de cogumelos laminados
1 tomate maduro as rodelas
Sal e azeite que baste

Preparação
Depois das batatas descascadas corte as rodelas com 0.5mm de espessura. Leve ao lume uma sertã (que tenha tampa) com azeite e a cebola, o pimentão, os cogumelos e o tomate, quando a cebola começar a ficar trans lúcida coloque a as batatas mexendo sempre para não pegar, quando começarem a ficar meias cozidas tempere de sal e tape com a tampa e deixe acabar de cozer no seu vapor. Antes de servir pode salpicar com salsinha picada ou enfeitar com azeitonas.

bom Apetite

Quebra-queixo


A coisas que a gente nunca esquece, e uma delas é o Quebra-queixo, que como outros doces fazem parte das minhas lembranças de infância.  Segundo li recentemente que mesmo continuando a ser vendido no interior do Brasil, a sua tradição está quase desaparecendo, muitos jovens brasileiros não conhecem esse doce. Por isso, hoje decidi homenagear uma dessas doçuras, como uma forma de preservar um pouco essa cultura. Ainda me lembro de quando era moleque (criança), a saída da escola estavam os vendedores de doces como “pé de moleque, paçoca, geleia e tantos outros”, mas era o Quebra-queixo o que mais sé vendia, pudera aquilo era mesmo bom. O doce não e complicado de fazer, mas sim ter muita paciência e a carinho, como dizia a minha mãe.

Ingredientes
1/2 kg de coco ralado ligeiramente grosso
1/2 kg de açúcar 

Sumo de uma laranja 
1/2 de litro de água
1 copo de água 

Preparação
Numa panela bem grossa (pois vai demorar um certo tempo ao lume) em lume médio adicione o açúcar à água já fervendo,mexa sempre até ficar em ponto perola, ou seja quando o açúcar estiver todo diluído e começar a escurecer. Junte o sumo de laranja e o coco ralado, continue a mexer sem parar até  a calda começar escurecer e a engrossar, não pare de mexer até dar o ponto. Para saber o ponto certo, a Ti Bernada (minha mãe), tirava uma pequena porção e jogava em água fria e amassava com a mão até sentir que está pronta, tipo um efeito de puxa-puxa. Tira-se a panela do lume e adiciona-se o copo de água, mexa bem e verta para um recipiente ou devida em porções. esta parte final é muito importante para dar ao doce a textura e a característica do quebra-queixo entre mole e duro. 
Como é bom ser criança!! 

Bom Apetite

sábado, 17 de março de 2012

Batatas para acompanhamento



Às vezes temos um peixe grelhado ou assado, ou até carne e não sabemos com o que servir. Já estamos  fartos da batata frita ou assada ou o acompanhamento básico que é o arroz, pois vou ensinar uma maneira diferente de fazer batata para acompanhamento, muito simples e sem duvida muito mais saudável. Coza as batatas cortadas ao meio com a pele em água temperada de sal, depois de escorridas numa frigideira com um fio de azeite em lume forte doure da parte do corte, salpique com salsa picada e sirva.

Bom Apetite

Arroz à Cubana


Hoje vamos fazer um prato muito típico nas Canárias, um prato muito conhecido em Espanha. Um prato que não tem nada a ver  com cuba, apesar do nome  (possivelmente nem é conhecido ai). O Arroz à Cubana que por quase toda a Espanha é servido como um 1º prato, muito fácil de fazer, uma combinação perfeita de arroz, tomate, ovos e bananas ( nas Canárias e muito usual servi-lo com bananas da região fritas, já no resto de Espanha vai mesmo só com ovo). O molho de tomate pode ser feito com tomates bem  maduros ou usar tomates triturados em lata, eu aqui vou deixar a receita com tomates naturais, os ingredientes deixarei  individual  bastando só multiplicar pelo numero de pessoas para fazer a doze desejada.

Ingredientes
Arroz
100 gramas de arroz
Água suficiente para cozer o arroz (+ ou – 1 litro)
Sal que baste

Molho tomate
1 chávena (das de chá) de tomate maduro sem pele e sementes triturado ou de lata triturado
½ cebola pequena  bem picadinha
½ dente de alho bem picadinho
1 pitada de sal
1 pitada de açúcar (para neutralizar a acidez do tomate)
1 pitada de oréganos
1 colher (das de sopa) de azeite
1 colher (das de chá) de vinagre
1 ovo  frito
Uma banana das canárias frita (facultativo)

Preparação
Arroz
Colocar em uma panela água temperada com sal, quando ferver, acrescentar o arroz, mexa e deixe cozinhar por cerca de 14 minutos, até que o arroz esteja macio. Quando estiver pronto retire e escorra, reserve.

Molho tomate
Numa frigideira com azeite em lume  médio dourar o alho e a cebola,  coloque o vinagre e deixe levantar fervura, de seguida misture o tomate, orégano,sal e o açúcar mexendo sempre para não pegar e deixe cozer por alguns minutos até ficar espesso e cremoso. Reserve. 

Serviço
Sirva em pratos individuais com o arroz num monte (molhe uma taça ou uma chávena grande com água, encha com o arroz pressionado um pouco e vire sobre o prato) com o molho ligeiramente por cima, ao lado o ovo e as bananas. (caso queira por bananas  basta alourar um pouco no azeite de fritar o ovo)

Bom Apetite

domingo, 11 de março de 2012

Buffalo Wings (Asas de galinha à moda de Buffalo)


Versão de Buffalo
Hoje resolvi fazer um prato do outro lado do oceano, mais propriamente dos EUA, um dos pratos mais populares da gastronomia norte-americana. As” buffalo wings” ou “buffalo chiken wings” (buffalo galinha asas). Este petisco muito servido principalmente nos dias de Superbowl segundo a tradição americana, nasceu na cidade de buffalo no estado de Nova York. Dizem que a receita original surgiu no “Anchor bar” de Buffalo, no seu site oficial conta uma história do surgimento das asas, dizendo que foi a Srª Teresa (proprietária) que em 1964 inventou o  tal molho secreto num dia em que seu filho apareceu em casa com amigos para comerem , desde então o bar passou a se especializar nesse prato. Um prato muito simples usando apenas o pedaço intermediário da asa, a que tem dois ossinhos rejeitando as coxas e as pontas (hoje em dia já se vende só essa parte em embalagens nos supermercados). Esses pedaços são fritos imersos em óleo sem nenhum tempero, só quando os pedaços das asas estiverem fritos e que são banhados com o molho cuja base é de vinagre, manteiga e pimenta caiena. Servido em vários países do mundo como um prato típico americano fez com que o molho ganhasse centenas de variações, deixando até de ser feito com asas e usando pequenos pedaços de galinha. O que permanece é a idéia de esses pedaços fritos serem cobertos com um molho picante. La nos EUA depois de banhados com esse molho são servidas com aipo as tiras e um outro molho a base de queijo azul e maionese para ir passando conforme se vai comendo. Aqui em casa como foi servido como refeição, resolvi acompanhar com um arroz branco e uma salada mista. Tive que fazer dois molhos, pois a malta por cá não gosta de muito picante, execeto eu claro.
Versão cá de casa

Ingredientes
1 kg de asas da galinha (só o centro com  os dois ossinhos)
50 gramas de manteiga
1,2 ou 3 pimentas de caiena (eu usei malaguetas uma variante das caienas, pode variar a quantidade conforme o gosto ou para fazer um molho mais suave use algumas gotas de tabasco)
1 colher (das de sopa) de vinagre
80  gramas de um queijo azul ( Roquefort, Gorgonzola ou Stilton )
150 gramas de  maionese
1 molho de aipo
óleo que baste para fritar as asas
sal a gosto (facultativo)

Preparação
Aqueça o óleo e frite as asas  durante 8 a 10 minutos em pequenas porções de cada vez, mantendo o óleo sempre a mesma temperatura. Reserve as asas já fritas em lugar quente (dentro de um tabuleiro no forno a 50º).
Numa frigideira em lume brando derreta a manteiga e junte às pimentas caiena cortada as rodelas bem finas, sempre mexendo misture o vinagre e tempere de sal. Reserve ( numa versão mais suave pode usar algumas gotas de tabasco em vez de caienas, até obter o picante desejado)
Entretanto pise o queijo com um garfo e misture com a maionese para usar como molho de repasse do aipo e  das asas. Coloque as asas numa tigela e deite o molho picante por cima e mexa para envolver-se nas asas. Sirva com o aipo cortado em tiras

Bom apetite

sábado, 10 de março de 2012

Cricos à Zezão (berbigão)


 Ainda la pelos lados dos Algarves hoje trago-vos um prato de um marisco muito abundante na Ria Formosa (Algarve) na ao qual tem pouco valor, comparado com a conquilha ou a amêijoas. O berbigão com um sabor muito característico (sabor do mar), pois destes três bivalves, é o que tem mais sabor, por acumular dentro do miolo uma certa percentagem de água. Outrora muito abundante também na ria de Aveiro, conhecidos como "cricos", onde em muitos domingos de verão serviam de petisco na tainadas, abertos na chapa regados com sumo de limão ou na frigideira com alho e coentros. Pois hoje vamos caprichar um pouco, tornando em um bom prato ou uma boa entrada.

Ingredientes
500 gramas de berbigão (limpos de areia, preferencialmente em água do mar durante 2 horas antes de confeccioná-los)
1 tomate grande e maduro
4 dentes de alhos
1 chouriço vermelho (preferencialmente picante)
1 Copo de vinho branco

1 limão
1 ovo cozido
Coentros que baste
Azeite que baste
Fatias de pão saloio torradas


Preparação
Num tacho apenas com um pouco de água (do mar) para cobrir o fundo abrem-se os berbigões. Logo que estejam abertos, apaga-se o lume, retiram-se os berbigões do tacho com uma escumadeira, resguardando a água  pois esta servirá para confeccionar o molho (caso não tenha água do mar, usar água normal com sal suficiente para temperar).
 Numa frigideira larga, aloura-se os alhos picados junto com o chouriço as rodelas (caso não queira picante use um choriço normal), com azeite em lume brando, quando os alhos começarem a ficar alourados, junta-se o vinho branco e deixa-se evaporar o álcool, logo em seguida junta-se o tomate bem picado e sem pele mexendo sempre com o lume brando ate  o tomate cozer. Junta-se um pouco da água de abrir os berbigões com o cuidado para não trazer areia. Convém deitar pouca água para que o molho não fique salgado, pois estamos a juntar água do mar com respectivo sal.
Deixa-se cozer até formar um molho homogêneo e ligeiramente espesso. Quando o molho estiver no ponto ( ligeiramente espesso), juntam-se os berbigões abertos e os coentros picados e mistura-se com cuidado. Verta por cima de duas torradas de pão, enfeite com limão e polvilhe com o ovo picado e sirva de imediato.


Bom Apetite