Traductor

segunda-feira, 28 de maio de 2012

Tarte Raffaello


Depois desta pequena ausência (fui a Alemanha), vou–vos adoçar a boca com uma sobremesa que é de comer e chorar por mais, uma das muitas que aprendi fazer por ai em Idar-Oberstein ("Idar-Oberstein"é uma cidade localizada na região de Rheinland-Pfalz  na Alemanha. É a capital alemã da indústria de pedras preciosas. Localizada no distrito de Birkenfeld. É a maior cidade da região de Hunsrück do sudoeste da Alemanha, e tem uma população de aproximadamente 35.000. Cidade também muito conhecida por ser a cidade natal do ator  Bruce Willis). Ai constatei que os alemães usam pouco açúcar nos doces, mas mesmo assim não deixam de ser ótimos e saborosos. Como costume as 3.30h da tarde é a hora do café com uma boa fatia de bolo. Ë de salientar uma forte ligação com cidades Brasileiras, principalmente Gauchas na qual influenciaram alguns costumes na gastronomia local. Mas isso já é outra historia, agora vamos lá ao doce.


Ingredientes
100 gamas de farinha de trigo
15 gramas de fermento em pó
50 gramas de coco ralado
250 gramas de natas (para montar)
100 gramas de manteiga
100 gramas de açúcar
20 bombons Raffaellos
4 ovos
1 colher (das de sopa) de açúcar baunilhado
1 lata de alperce em calda
1 colher (das de sopa) de doce de alperce

Preparação
Separe as gemas das claras, reserve. Numa tigela bata as gemas e a manteiga com 50 gramas de açúcar até esbranquiçar. Acrescente o açúcar baunilhado e mexa, acrescente o coco e mexa , acrescente a farinha e mexa, acrescente o fermento e mexa bem até obter uma massa homogênea. Colocar em uma forma de 25 cm + ou -  e de abertura lateral e levar ao forno durante 30 minutos a 180º. Entretanto triture 10 raffaellos e reserve. bata as claras em castelo e reserve, bata as natas em castelo e misture com os raffaellos triturados,as claras e o açúcar restante, reserve. Depois do bolo frio  e sem tirar o aro umedeça com uma calda feita com o doce de alperce e duas colheres (das de sopa) de água (Leve o doce e a água ao lume brando para misturar bem). Disponha por cima os pedaços de alperce e cubra com o preparado de natas, leve ao frigorifico para ficar frio até a hora de servir. Na hora de servir retire o aro e sirva enfeitado com os restantes raffaellos.

Bom Apetite

terça-feira, 8 de maio de 2012

Massa para Rissóis


Massa para rissóis ou massa cozida como também é conhecida, muitas vezes parece um bicho de sete cabeças, mas não deixa de ser uma das massas mais simples de fazer. Claro que  sempre já há a venda massas preparadas, mas eu sou do tipo que gosta de meter as mãos na massa, dá um gozo enorme sentir nas mãos a textura da massa, de estende-la, cortá-la, enfim a que experimentar. A uns tempos atrás usava um copo para cortar os rissóis e depois fechá-los, mas atualmente uso uma maquineta de plástico que facilita muito a operação. Quanto ao recheio podem fazer como quiser, a gosto, de peixe, carne, camarão, legumes, mistos, etc. 

Ingredientes
1 chávena (das de chá) bem cheia de farinha de trigo tipo 55 sem fermento
1 chávena (das de chá) mal cheia de água (1 dedo abaixo da borda de cima)
1 colher (das de sopa) de manteiga
1 pitada de noz moscada
Sal
(basta multiplicar estas medidas para mais quantidades)

Preparação
Num tacho por a água a ferver com a manteiga, colocar a noz moscada e temperar de sal. Já em lume baixo acrescentar a farinha e mexer sempre com uma colher de pau até a massa embolar e descolar da panela. Virar para cima de uma mesa ou na pedra da cozinha, amassá-la com as mãos até ficar macia e homogênea, estenda com um rolo e corte os rissóis a medida desejada.


 Depois de cortalas e rechear com o preparado da sua preferencia fecha-los com ajuda da maquineta




 Depois de prontos passar por ovos batidos (como para omelete) e passar por pão ralado.

bom Apetite

terça-feira, 1 de maio de 2012

Rigatoni al Pesto Rosso



Alguns dias atrás eu fiz um comentário num blog sobre Pesto, e verifiquei que ainda não tinha posto nenhuma receita deste molho Italiano que sé da pelo nome de Pesto (a palavra em Italiano, pesto, pestare verbo, refere-se a qualquer preparação de molho em que passamos a esmagar os ingredientes). Ai em Itália cada terra tem o seu Pesto, por  exemplo em  Gênova fazem com rúcula e avelãs, conhecido como Pesto genovês, da Sicília temos o Pesto vermelho talvez menos popular do que o genovês, mas também é muito fácil de fazer, muito versátil e saboroso. Assim em Itália  podemos encontrar muitas receitas variadas de Pesto, desde o mais básico com tomates secos, alho, queijo, pinhões e orégano ou manjericão, até aquelas que incluem pimenta, molho de tomate, anchovas, alcaparras, etc.





Voltando ao Pesto vermelho ou Pesto Rosso que tem como ingrediente principal o tomate (não apenas com tomates secos), este molho também pode ser feito com tomates frescos. Os outros ingredientes que acompanham este Pesto assim como todos os outros é o queijo pecorino e o queijo parmesão, ou  mistura de ambos. Para que os sabores sejam pronunciados na mistura e conveniente a utilização de um morteiro, podem usar um Mixer, mas ter o cuidado para não aquecer (derivado a rotação), pois o Pesto e um molho que se serve frio e a textura feito com um Mixer e diferente. (fica mais triturado) Para servir com este Pesto, resolvi fazer Rigatoni, na qual derivado as suas estrias e superfície adere melhor aos molhos, assim será uma combinação perfeita para o Pesto.

Ingredientes
 6 Tomates pêra maduros (ou outro tipo, mas bem carnudos)
30 gramas de pinhões
30 gramas de queijo parmesão
1 dente de alho
1 colher (das de chá) de manjericão frescos
1 colher (das de chá) de sal grosso
1/2 chávena (das de chá) de azeite
1 pitada de açúcar
Umas gotas de sumo de limão
Pimenta a gosto

Preparação
Lave os tomates e retire a pele e leve a assar inteiros com um fio de azeite no forno a 220ª durante ½ hora aproximadamente, deixe ficar no forno apagado de um dia para o outro (Caso use tomates secos, devera hidratar em água e depois escorra bem, o tempo vai depender da secura dos tomates. Uma vez escorrido coloque em azeite e prossiga com a receita normal). Coloquem no morteiro os tomates, os pinhões, o alho descascado, o manjericão, as gotas de limão, o açúcar, o sal e o azeite. Conforme for pisando os ingredientes vá mexendo para que se misture. Tempere com pimenta a gosto. Finalmente incorpora parmesão ralado e misture bem, acrescentando mais azeite se necessário para se obter a textura e a densidade desejada. Deixe repousar um pouco o molho Pesto para que todos os sabores apurem. Coza os Rigatoni em bastante água temperada com sal e um dente de alho ( normalmente entre 8 a 10 minutos). Escorra e sirva com o Pesto por cima. 

Bom Apetite

Tortilla de Patatas


A Tortilha ou Tortilla de batatas, também conhecida como Tortilla espanhola (omelete espanhola) e um prato de ovos e batatas. Existem variações desta fritada acompanhada por outros ingredientes, como pimentões, chouriços, etc. Sendo que a de batatas com cebola faz parte das receitas caseiras e clássicas da cozinha espanhola que pode ser encontrado em qualquer bar ou restaurante em Toda a Espanha. Segundo parece este prato poderá ter origens em Navarra, conta uma historia de um documento anônimo dirigido ao Parlamento de Navarra em 1817, em que explica as condições miseráveis ​​de vida em comparação dos agricultores com os habitantes de Pamplona. Depois de uma longa lista de alimentação miserável aparece a seguinte citação: ".... dos o tres huevos en tortilla para cinco o seis, porque nuestras mujeres la saben hacer grande y gorda con pocos huevos mezclando patatas, atapurres de pan u otra cosa..." (...dois ou três ovos em uma tortilha para cinco ou seis pessoas, porque nossas mulheres sabem prepará-la grande e pesada mesmo com poucos ovos, misturando batatas, pedaços de pão ou outras coisas...)

Ingredientes 
6 Ovos
300 gramas de batata
1 cebola media
2 dentes de alho
1 colher de chá de fermento em pó
2 xícaras de azeite
1 raminho de salsinha picada (opção)
Pimenta a gosto
Sal que baste

Preparação
Corte as batatas em rodelas de meio centímetro de espessura, reserve. Corte as cebolas em rodelas bem finas, reserve. Numa  frigideira coloque o azeite a aquecer e acrescente as batatas com cuidado para não transbordar, cozinhe por alguns minutos mexendo com uma colher de pau. Ter atenção para não fritar as batatas, elas apenas devem ferver no óleo. Quando as batatas começarem a amolecer e quebrar, acrescente a cebola e o alho, misture aos poucos até ficarem bem cozidas. Depois deste preparado pronto, coe para retirar o excesso de Azeite e deixe esfriar alguns minutos. Entretanto em uma vasilha, coloque os ovos, o sal, a pimenta, a salsa (Uma opção que eu adoro por, pois adoro o sabor da salsa) e o fermento e misture sem bater, apenas para desmanchar a liga dos ovos e misture com o preparado de batatas. Na mesma frigideira quente, coloque mais um pouco de azeite e despeje a mistura para fazer a tortilha, vá mexendo com uma espátula nas bordas para evitar que grudem nas paredes da frigideira. Tampe e deixe cozinhar alguns minutos em fogo médio, quando  começar a endurecer na superfície está na hora de virá-la, coloque um prato raso do tamanho da frigideira  em cima e vire-a com muito cuidado, tendo a tortilha no prato deixe deslizar para a frigideira para que doure do outro lado. Cozinhe mais uns  minutos, retire do fogo e vire para um prato grande, deixe-a repousar antes de cortá-la. Quente, morna ou fria, é irresistível!

Bom Apetite