Traductor

sábado, 25 de agosto de 2012

Bifanas



É o prato português mais conhecido, que não pertence a uma região em especial, sem nenhuma tradição nobre, mas de uma certa maneira já é uma espécie de alimento  tipo “fast food” a Portuguesa. É assim a nossa bifana feita com um pão tosco tipo saloio (papo seco ou bico) com uma febra de porco dentro. Nada mais simples, no entanto tão apetecível.

Sé bem me lembra de quando saia de copos com alguns amigos ( a uns aninhos atrás ). Sim era uma noite de farra que sempre acabava as 2 da manha comendo umas bifanas num café em Portomar ( uma aldeia bem perto de Mira Portugal ) e que maravilha que eram, com um forte sabor e um cheirinho a alho.
Já mais tarde numa das minhas viagens ao Algarve (como condutor de caminhões) costumava parar  em Vendas Novas, mais propriamente no café Boavista para comer uma boa bifana. Havia  por ai vários cafés a confecciona-las, mas este era um local de referencia em Vendas Novas na confecção deste petisco. Mantendo a sua receita original ainda hoje são apreciadas e possivelmente será as melhores bifanas de Portugal. O segredo dos temperos nunca descobri, mas sabia que eram feitas de fatias de lombo de porco batidas até ficarem bem finos e fritos em manteiga.
Também o norte de Portugal tem uma forte tradição em bifanas, mais propriamente na zona do porto. As bifanas à moda do Porto também são muito famosas, por ai qualquer tasco que sé preze sabe servir umas boas bifanas. Os sabores diferem de lugar para lugar segundo o seus segredos de temperos e confecção.
 Esta receita que voz trago hoje foi passada a mim por um conhecido que trabalhava num café ,acuando das minhas paragens na “cidade invicta” (um dos apelidos da cidade do Porto). Muito simples e fácil de fazer, na qual podemos reutilizar o molho da confecção varias vezes. Feito com lombo de porco na qual para o cortar bem fininho colocaremos no congelador  um certo tempo, não para congelar , mas sim para dar-lhe rigidez suficiente para poder fatia-lo bem fininho.

Ingredientes
Lombo de porco fatiado bem fino (quantidade necessária para o vosso apetite)
1 copo de óleo de boa qualidade
1 copo de vinho branco
1 cerveja (33cl)
1 cálice de vinho do Porto
1 cálice de Brandy ou whisky
1 colher (das de sopa) bem cheia de banha de porco
1 colher (das de sobremesa) de colorau
4 dentes de alhos pisados (pode pisar com um fundo de um copo)
2 folhas de louro
1 ou 2 malaguetas (se quiser bem picante corte-as ao meio, se quiser um picante moderado deixe-as inteiras) ou pode utilizar um picante tipo piripiri ou tabasco a gosto.
Sal que baste (preferência grosso)
 



Preparacão
Num tacho grande em lume lento ponha o óleo e banha até derreter, junta-lhe os alhos e o louro e deixe alourar ligeiramente. Passe para lume médio e acrescente o colorau e o vinho mexa bem e deixe levantar fervura. Passe para lume forte e coloque os restantes ingredientes menos o sal. Deixe 
ferver durante uns 5 minutos mexendo de vez em quando. Reduza para lume médio e vá introduzindo  a carne salpicada de sal (pouca quantidade de carne de cada vez), conforme vai cozendo a carne vai tirando para uma travessa funda, no fim regue com um pouco do molho.. Pode servir com arroz e batatas fritas ou se quiser dar uma de taberneiro à moda do porto, abra o pão e passe um beira pelo molho no tacho e coloque as bifanas, ponha um fio de mostarda (sé gostar) e bom apetite.















 Nota: Assim que o molho arrefecer coloque num recipiente e congele-o. Quando voltar fazer bifanas volte a utiliza-lo, sé necessária colocar um pouco mais de cerveja ( para descolar o molho do recipiente deixe alguns minutos em água quente). Ter atenção ao sal pois já contem algum da outra utilização (na terceira ou quarta utilização já não precisará de sal).

Bom Apetite

sábado, 18 de agosto de 2012

Bacalhau com rigatoni


“Quem não tem cão caça com gato” um ditado muito popular em Portugal na qual serviu de inspiração para este manjar. Tudo aconteceu num dia desta semana, como normalmente saio para trabalhar de manha e só volto a noite,deixo sempre a descongelar o necessário para o jantar. Apeteceu-me bacalhau (português com certeza) com batatas de azeite, tirei as posta do bacalhau do cogelador para descongelar, e lá fui eu para o trabalho. Nesse dia cheguei bem tarde a noite e quando fui a despensa, verifiquei que não tinha batatas. E agora?, o que é que eu vou fazer?.
 Disse “Não tenho batatas, mas ali esta aquele pacote de rigatonis a olhar para mim” . Foi então que me veio a memória esse velho ditado, agarrei no pacote e lá fui eu para os tachos.

Ingredientes
250 gramas de rigatoni
4 boas postas de bacalhau (salgadas e demolhadas)
½ cebola bem picadinha
2 dentes de alhos bem picadinho
1 folha de louro
3 colheres (das de sopa) de azeite de oliva
1 colher (das de sopa) bem cheia de azeite dendê (ou óleo de palma)
1 colher (das de sobremesa) de colorau
½ copo de vinho branco
Farinha de trigo que baste
Queijo parmesão ralado que baste
Leite que baste
Tabasco a gosto
Sal que baste

Preparação
Coza os rigatonis em bastante água temperada com sal, escorra e reserve. Escalde as postas de bacalhau em leite quente durante 2 a 3 minutos, retire e deixe esfriar, passe pela farinha e reserve. Numa frigideira coloque o azeite de oliva e o azeite dendê, leve ao fogo brando, estando os azeites bem misturados frite as postas de bacalhau até ficarem lourinhas, reserve as postas de bacalhau em lugar quente. No mesmo azeite da fritura ( em lume brando) coloque a cebola, os alhos e a folha de louro, quando começar a aloirar acrescente o vinho branco e colorau mexa bem e deixe levantar fervura (em lume forte) até evaporar o álcool e apague o lume. Verifique o sal e tempere de tabasco a gosto, despeje os rigatonis por cima do molho e envolva tudo, tape a frigideira durante uns 5 minutos para apurarem os sabores. Sirva de imediato polvilhado com o queijo.

Bom Apetite

sábado, 11 de agosto de 2012

Spaghetti - wurst mit zucchini



Ali estavam elas no congelador as bratwurst classic ( As ultimas salsichas alemãs trazidas de quando estive por lá) a espera de serem preparadas. Como sabemos a Alemanha é um pais forte em fabricação de salsichas, ( e a cerveja, mas isso já é outra historia) existem ai mais de 1500 tipos de salsichas e á para todos os gostos. Geralmente são feitas com carnes picada muito  fina, muitas vezes feita com a adição de sal de cura, especiarias, etc.. Ao tipo de carne é adicionado à água ou gelo, cozidas uma a uma e vão a fumar em vapor quente ou moderado. Antes de fumigação entra num processo de maturação em que se desenvolve a sua consistência e sabor. 
Esta receita de hoje é um pouco esquisita veio da Alemanha assim como as salsichas traduzido para Português seria mais ou menos "Espaguetes com salsichas e courgetes".

Aproveito para deixar uma lista de algumas salsichas Alemãs mais conhecidas:

Frankfruter- A mais famosa de todas conhecida no mundo inteiro, (não confundir com as salsichas “tipo” Frankfurt que compramos em qualquer supermercado). Em sua receita original, feita a base de carne de porco e toucinho. Uma boa salsicha para servir cozida.
Bierwurst- Mais parecida com um embutido de frutos do bosque e especiarias.
Bratwurst- A mais consumida em toda Alemanha, feita com carne de porco, bezerra e especiarias. Cada região tem a sua receita tradicional. Muito boa feita de qualquer maneira.
Blutwurst-  Feita com sangue de porco, uma espécie de embutido  parecido com a morcela.
Bockwurst- Feitas a base de carne de porco, vaca e frango ou pato com pimentão e pimenta branca. Antes de consumir estas tem que ser fervidas.
Weibwurst-  Uma salsicha branca feita com carne de boi,porco, especiarias e ovos, uma da mais deliciosas salsichas da região Bávara. Muito apreciada ao pequeno almoço acompanhado por uma boa cerveja.
Weinerwurst- Feita com carne de boi e porco fumado com alhos e coentros, uma salsicha tipo vianesa.  

Ingredientes
300 gramas de espaguetes
150 gramas de courgetes
200 gramas de bratwurst
60 gramas de queijo ralado (parmigiano reggiano)
1 dente de alho
Azeite que baste
Sal que baste
Tomilho e pimenta branca a gosto

Preparação
Cozer os espaguetes à lá dente (cozidos, mas ainda rijos), reserve. Corte o courgete as rodelas e tempere de pimenta a gosto. Polvilhe as salsichas com tomilho e leve a grelhar no grelhador juntamente com os courgetes (se for num grelhador a carvão melhor ), reserve. Numa frigideira aqueça o azeite e ponha o alho esmagado até dourar, retire o alho e com o lume apagado tempere de sal e pimenta a gosto, verta por cima dos espaguetes e misture com os courgetes e as salsichas cortadas em troços. Sirva enfeitado com ramos de tomilho e polvilhado com o queijo ralado.

Bom Apetite

domingo, 5 de agosto de 2012

Peituga no forno "2"


Hoje não trago uma receita nova, mas sim uma reposição de uma das receitas que muita gente me pediu mais fotos do seu preparo. Peituga no Forno Afinal o que é uma peituga, como já disse peituga a e a parte central da barriga do porco(onde estão os tetos), normalmente usasse de porca (fêmea) parideira por ter parido varias vezes sua carne é mais saborosa. Pois hoje como voltei a fazer peituga só trago as fotos. Vale a pena voltar a rever esta receita ou até faze-la.

                                Aqui temos a peituga pronta ser preparada
                 Antes de por os temperos dar uns cortes para facilitar seu tempero


 O tempero "sal grosso,pimenta, alho, colorau e vinagre" Enquanto preparo as batatas vai já para o forno


                                                 Já com as batatas


                                                    Volta ao forno


                              Hora de virar a carne, volta ao forna mais uns minutos

                         Começa a tostar o coirato, mais um poquinho e tiro do forno


                                                  Aqui esta o rezultado


                                                    Bem tostadinha



                                       Ficou uma maravilha!! Não acham?????

Bom Apetite

sexta-feira, 3 de agosto de 2012

Bolinhos de carne à Ti Bernada


Hoje veio-me a cabeça os meus tempos de criança, lembrei-me dos bolinhos de carne que a minha mãe fazia para vender no bar ao lado de umas bombas de gasolina,se não me falha a memória mais propriamente em Vila dos Remédios (Osasco S.P. Brasil) junto a ponte (nessa altura andava em construção). Voltando aos bolinhos que bem me lembro eram uma verdadeira maravilha, minha mãe fazia-os meios ovais,  (muito parecidos com eles são os Quibes; Quibe ou kibe em português, kibbeh ou kubbah em árabe, um bolinho típico do Oriente Médio que consiste em carne moída, temperada com ervas, que pode ser cru, cozido ou frito. É um prato muito popular  no Líbano, Síria, Palestina e Iraque. É também comum no norte da África, na Turquia, na península árabe e em parte do Cáucaso, como na Armênia ) um biquinho de cada lado e bem grandes, quando a travessa aparecia em cima do balcão desapareciam num piscar de olhos. Ainda me lembro dos fregueses perguntarem; “Tem bolinho de carne dona Bernada ?“.
Velhos tempos!!
Hoje em dia o bolinho de carne é já um petisco nacional brasileiro a par de muitos outros salgadinhos. Possivelmente receitas levadas para o Brasil antigamente pelos  emigrantes, na qual o povo brasileiro foram alterando segundo seus costumes e sabores. Aqui na Europa já existe registros da preparação tanto de bolos ou bolinhos de carne desde o século V  A.C. Os mesmos ingredientes  mas em forma de um bolo são bastante tradicional na Alemanha, Bélgica, Holanda e Itália. As famosas almôndegas sempre acompanhadas com molho são a versão mais parecidas com os bolinhos de carne. As receitas de almôndega e do bolo de carne se confundem muitas vezes, sendo o seu preparo muito similar, misturando carne magra e tenra, que recebe a adição de diferentes tipos de farinha ou pão, bem como temperos para formar uma massa. Essa massa pode ser também recheada com os mais variados tipos de recheio ou simplesmente enrolada e cozida ou frita.

Ingredientes
½ kg de carne moida
2 boas fatias de Pão de centeio
1 ovo
1 chávena (das de chá) de cebola bem picadinha
½ chávena (das de chá) de salsa picada
1 colher (das de sopa) de farinha maisena
Pimenta a gosto
Sal que baste
Leite que baste

Preparação
Deixe o pão em um pouco de leite morno para que fique bem ensopado, escorra-o e amasse bem até desaparecer todos os grumos. Num recipiente misture todos os ingredientes e amasse bem até ficar bem homogêneo. Depois de amassado deixe repousar no frigorifico (1/2 hora) pra que os temperos apurem. Com a ajuda de duas colheres ou com as mãos faça bolinhos mais ou menos do mesmo tamanho e frite em óleo bem quente. Um truque para que fique bem sequinhos e fofos, passe-os ligeiramente por farinha de trigo antes de fritar.

Bom Apetite

quarta-feira, 1 de agosto de 2012

Salmão com chouriço


Nestes últimos dia tenho estado por casa, e nada melhor que tentar organizar um pouco por aqui as coisas. Também tenho mais tempo para ir para o meio dos tachos, numa dessas idas criei este prato. Nada de especial mas ficou uma verdadeira maravilha

 
Ingredientes
4 postas de salmão
2 dentes de alhos
1 cebola
100 gramas de um bom chouriço (português)           
½ kg de batatas medias
Pimenta a gosto
Azeite que baste
Sal grosso que baste


Preparação
Num tacho com água coza as batatas com a pele bem temperada com sal (abusar um pouco no sal pois devido as batatas terem pele não as deixar salgadas por dentro) grosso, depois de cozidas escorra a água e reserve as batatas sem as cobrir ( para que fiquem brancas devido ao sal ). Numa assadeira ponha as postas de salmão em cima da cebola as rodelas temperadas com pimenta a gosto e leve ao forno assar a 180º durante ½ hora aproximadamente. Entretanto numa frigideira com um pouco de azeite ponha os alhos laminados até dourar um pouco, junte o chouriço e as batatas, envolva tudo em lume baixo durante uns 3 minutos. Verta por cima do salmão ainda na assadeira e vai mais 15 minutos ao forno ( não coloque sal pois as batatas e o chouriço temperam o salmão )para apurar os sabores, sirva com legumes verdes cozidos.

Bom apetite