Traductor

quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

Feliz ano novo


Passei mesmo só para desejar um bom ano a todos que por aqui passam...............

Bom Ano

Dia 06 de Janeiro de 2016

Olá gente boa, sabem como é família em 1º lugar, não vai ser hoje que regresso.
Mas aproveito para desejar um bom dia de reis.e deixar a receita do Bolo Rei

Bom Dia de Reis

terça-feira, 22 de dezembro de 2015

Feliz Natal 2015

Dois dias para o Natal, uma época em que devemos noz unir a família.
Pois e isso que vou fazer, deixo-voz na paz de Deus, com a certeza de que passeis um santo e feliz Natal, regresso depois do ano novo.
Lembre-se de uma pequena coisa.

"É muito melhor dar que receber"

Boas Festa

sábado, 19 de dezembro de 2015

Empadão de batata com frango

Aqui esta uma receita que até pode servir de reciclagem para aquele resto (principalmente o peito) de peru que muita gente faz para o natal, mas hoje vai ser de frango mesmo e feito na hora.

Ingredientes
½ frango limpo
½ quilo de batatas brancas descascadas
3 gemas de ovo
1 pitada de noz moscada
1 colher (das de sopa) de manteiga

Leite quanto baste
1 cebola bem picada
2 dentes de alhos picados
2 tomates bem maduros e triturado
1 colher (das de sopa) de colorau

1 copo de vinho branco
Tabasco a gosto
sal quanto baste
Azeite

Preparação

Partir o ½ frango em dois e levar a coser num tacho em água temperada com sal, em outro tacho por as batatas cortadas em pedaços também a cozer em água temperada de sal, quando estiverem cozidas, escorrer e deixar esfriar um pouco. Estando o frango também cozido retire do lume, escorra e reserve um pouco da água de cozer. Desfie o frango limpando dos ossos, reserve.
Num tacho baixo faça um refogado com a cebola, os alhos, o colorau, os tomates e o vinho branco, tempere com uma pitada de sal e tabasco a gosto, acrescente 1/2 copo de água de cozer o frango e deixe ferver. Adicione o frango desfiada e deixe apurara, apague o fogo.
Reduza ao batatas a purê com um passe-vite e acrescente uma pouco de leite, 2 gemas e a manteiga, mexa bem e tempere com noz moscada, reserve.
Num tabuleiro de vidro (de ir ao forno), forre o fundo com um pouco de purê e distribua por cima o preparado de frango, cubra com o restante purê e faça uns riscos com um garfo, pincele com a outra gema batida e leve ao forno pré-aquecido a 180º entre 5 a 10 minutos ou até ficar bem dourado. Sirva de imediato acompanhado com salada verde.



Bom Apetite

sábado, 12 de dezembro de 2015

Bacalhau com broa e grão de bico no forno

Talvez por ser Dezembro, ou talvez por ser Bacalhau, ou talvez por estarmos a poucos dias do Natal, ou talvez sirva de sugestão para a noite de ceia, o certo e que a alguns meses atrás fiz este prato e agora, ou talvez seja a altura para o publicar. Aqui temos noz uma combinação perfeita entre bacalhau, grão de bico, broa e azeite. Praticamente quando comemos bacalhau, seja com grão ou outra coisa, acabamos molhando uns troscitos de broa no azeite. Assim peguei em tudo e levei ao forno e o resultado esta aqui para ver, pois para provar terá que fazer.

Ingredientes
4 postas de lombo de bacalhau demolhadas
1 broa de milho (250 gramas)
250 gramas de grão de bico cozido
2 dentes de alho
Pimenta branca moída na hora
Azeite quanto baste



Preparação
Escalde os lombos de bacalhau em água a ferver uns segundos e disponha no centro de uma travessa de ir ao forno, a volta espalhe o grão de bico. Pique os dentes de alhos por cima e tempere com pimenta a gosto, regue com bastante azeite e cubra o grão de bico com a broa em pequenos pedaços, de maneira que fique o bacalhau a vista. Leve ao forno (função aquecer em cima e por baixo) preaquecido a 180º entre 20 a 30 minutos ou até ficar dourado. Retire do forno e sirva.


Bom Apetite

terça-feira, 8 de dezembro de 2015

Bacalhau cozido com todos

Aqui estamos noz nesta época do ano, aquela em que mais sé utiliza o bacalhau, seja cozido, gratinado, grelhado ou assado, não pode faltar na noite de consoada (dia 24, noite de ceia), mesmo que haja outros pratos para servir. Por isso a tempo e horas deixo aqui uns conselhos sobre o bacalhau para que não falte na vossa mesa na noite de ceia.

Um dos grandes segredos esta no corte, pois dele pode originar a melhor maneira de aproveitar o bacalhau, sendo o corte tradicional (Veja aqui ) o que melhor aproveita o bacalhau.

Consiste em dividir nas seguintes partes, aba, lombo, posta alta, posta media ou fina e o rabo. A parte da cabeça vende-se em separado, considerado por muitos como a melhor parte do bacalhau, pois é mais saborosa que o corpo, normalmente chamadas de caras.

O bacalhau peixe muito integrado na gastronomia portuguesa, fazendo dos portugueses os maiores consumidores de bacalhau do mundo. Cozido na Consoada de Natal, juntamente com batatas, cenouras e couves, brócolos ou grelos, é uma regra inquebrável nos hábitos alimentares portugueses para este dia. Conhecido com nome de bacalhau cozido com todos (pois junta o fiel amigo com o melhor da horta), aqui deixo uma receita bem simples e fácil.

Recordo que esta receita um prato muito típico na noite de 24 de dezembro, que tem por todo Portugal varias versões. Desde de coser o bacalhau a parte, ou fazer uma moira com azeite, alhos e um pouco de água de cozer o bacalhau, em certos lugares usam um pouco de banha derretida, etc. Eu pessoalmente gosto de depois de escorrer e colocar na travessa, cortar um dente de alho em laminas e espalhar por cima antes de regar com azeite.

Ingredientes (4 pessoas)
4 postas medias de bacalhau seco e de-molhado
1 quilo de batatas brancas
½ quilo de cenouras
Azeite quanto baste
Brócolos, couves ou grelos quanto baste

Preparação
Descasque as batatas e as cenouras, lave os brócolos ou a verdura que tiver escolhido. Corte as batas ao meio e as cenouras ao comprido e juntamente com a verdura, leve a cozer em um tacho com bastante água. Quando levantar fervura acrescente as postas de bacalhau e deixe acabar de cozer, escorra e verta para uma travessa, regue com um bom fio de azeite
.

Bom Apetite

domingo, 6 de dezembro de 2015

Tagliatelles com coelho em redução de vinho do Porto

Parece que o vinho do Porto esta de moda, sendo assim hoje trago um prato simples, na qual todo o seu sabor estará numa redução de vinho do Porto. 
Em termos culinários, chama-se redução ao processo de concentração dos sabores e engrossamento de um caldo, sopa ou molho através de uma ebulição muito lenta. Já os caldos reduzidos são designados fundos (com exceção do caldo de peixe reduzido que se chama fumet) e são utilizados como base para molhos. Uma redução maior de um fundo, principalmente de um caldo de carne,dá origem a uma glacê ou demi-glace (Frances), extrato de carne (Português),normalmente em pasta na qual se pode conservar durante muito tempo, é usado geralmente para preparar ou aromatizar sopas ou molhos.
Uma inovação é a redução dos vinhos, usada diretamente como aromatizante em vários pratos, ou para preparar um molho em que se mistura o vinho já reduzido com caldo de carne.

Ingredientes
1 coelho grande (1.5 kg)
Água quanto baste
1/2 litro vinho branco
1 cebola
1 cenoura

2 folhas de louro
5 dentes de alho
1 tomate bem maduro
2 colheres (das de sopa) de azeite
1 colher rasa (das de sopa) de banha
1 colher (das de chá) de colorau
1 ramo pequeno de alecrim
Pimenta moída na hora a gosto
Sal grosso quanto baste

Para a redução
Vinho do porto tinto quanto baste
Sumo de 1 laranja
Caldo coada do estufado 


Preparação
Limpe o coelho das gorduras e corte-o em pedaços iguais, deixe marinar de um dia para o outro com o vinho branco, os alhos laminadas, as folhas de louro e temperado de sal. No dia num tacho largo derreta a banha com o azeite e doure os pedaços de coelho de ambos lados, no mesmo tacho coloque os alhos escorridos com o louro e a cebola e a cenoura em rodelas, o ramo de alecrim, o tomate triturado e tempere com o colorau e pimenta a gosto. Acrescente ½ litro de água e leve a estufar em lume médio ate o coelho estar tenro e cozido (sé necessário acrescente um pouco mais de água), retire o coelho e coe todo o caldo que sobra. 
Coza os tagliatelles em muita água com sal, escorra e verta para uma travessa e guarde em lugar quente. 
Prepare a redução, numa frigideira coloque o sumo de laranja com o caldo coado e a mesma quantidade de vinho do porto e deixe reduzir até metade, acrescente o coelho e apague, deixe repousar uns minutos, verta por cima dos tagliatlles e sirva de imediato. Querendo pode servir com legumes cozidos.

Bom Apetite

sábado, 5 de dezembro de 2015

Porto Tónico

Mais umas férias que chegaram a fim e nestas afastei-me o mais possível da gastronomia, ou seja nada de buscar coisas novas, simplesmente só rever família e amigos. Mas mesmo assim acabei por descobrir algo novo em Portugal, uma bebida que assenta como uma luva para a volta ao blog depois das férias, que sempre regresso com uma bebida. Nas ultimas férias comecei as publicações com um Gin Tónico e quando provei esta nova versão (tónica), vi logo que era a bebida ideal pra o regresso.
Parece que esta bebida foi a grande moda neste verão, nas mais badaladas esplanadas do Porto e Lisboa, assim como no Algarve e um pouco por alguns pontos turísticos de Portugal. Uma bebida “made in Portugal”, estilo Zé povinho, mas que pegou de moda. Com teor de álcool mais baixo e bem mais fácil de preparar que um gin tónico.
 Uma mistura de vinho do porto e água tónica, assim nasceu o Porto Tónico que depois de pesquisar um pouco descobri que já enamorou prestigiosos barmans de Londres e Nova York, e que alem do porto tónico descobriram no vinho do porto um forte aliado no preparo de coquetéis.

Esta bebida bem refrescante parece que já nasceu na cidade do Porto a alguns anos, numa altura que estava de moda coquetéis inovadores, entrando de moda agora graças ao gin tónico, seu principal rival. Com um leque de fãs de menos idade ou até pessoas mais conservadoras, mas com vontade de provar bebidas diferentes. Normalmente prepara-se com vinho do porto branco extra seco, mas pode-se utilizar um porto tinto ou rosado, em versões mais recentes em vês de uma simples rodela de limão com folhas de menta, usa-se frutos vermelhos, rodelas de pepino, etc. Sendo fundamental usar um copo alto (tipo tubo) para poder saborear todo o seu aroma. Com um sabor particularmente afrutado, pode ser servido como um aperitivo ou como acompanhamento para petiscar. A receita que deixo e a clássica, sendo fácil inovar e fazendo a sua a seu gosto, com vinho do porto branco ou tinto decorado a seu gosto.

Normalmente as medidas são de 1 parte de vinho do porto para 3 de água tónica, ficando a seu critério e gosto a aumentar a quantidade de vinho do porto na qual lhe dará mais teor alcoólico.

Ingredientes
¼ de vinho do porto branco
¾ de água tónica de sua preferência (prefira sempre uma de boa qualidade)
2 rodelas de limão
2 folhas de menta
Gelo quanto baste



Preparação
Num copo alto ponha o vinho do porto com gelo, decore com as rodelas de limão e as folhas de menta e preencha com a água tónica.



Bom Apetite

quinta-feira, 22 de outubro de 2015

Por-do-sol



Pois é, esta foi a conclusão que cheguei, tenho mesmo que ir.
Não vale a pena vir por aqui ver sé há algo novo, pois de 23 de Outubro a 30 de Novembro vou a procura do Por-do-Sol................



Bom Apetite

29/11/2015 
Cheguei!!, estou a desfazer as malas.
Aguardem...............................

domingo, 18 de outubro de 2015

Sopa creme de alho-francês

O creme de alho Frances ou alho-porro é uma receita muito simples de fazer, pode ser servido como uma entrada para qualquer refeição ou como uma refeição ligeira, especialmente no verão, já que se pode comer frio. Agora que o frio esta chegando também é um forte aliado reconfortante e bem nutritivo, servido bem quentinho.

Ingredientes
3 olhos franceses
2 batatas
1 cenoura
1 cebola
200 gramas de carne de vaca
Sal quanto baste


Preparação
Limpe e lave os alhos franceses aproveitando o Maximo que poder, corte em rodelas. Descasque as batatas, a cenoura e a cebola, lave e corte também em rodelas. Numa panela com 3 litros de água coloque os alhos, as batatas, a cenoura, a cebola, a carne de vaca e deixe levantar fervura. Tempere de sal e deixe cozer em lume médio até os legumes estar cozidos, retire a carne de vaca e desfie-a, reserve. Com uma varinha mágica triture o restante da panela, sirva em pratos fundos com a carne desfiada por cima.


Bom Apetite

domingo, 11 de outubro de 2015

Fideuá de Gambas

Como hoje é domingo nada melhor que uma Fideuá!

Como sabem muito já falei por aqui dos fideos ( veja Aqui por exemplo), que são muito apreciados na cozinha mediterrânica, mesmo assim aqui fica mais um pouco deste prato.
Fideuá (pronunciação dialectal da palavra Valenciana fideuada, igual a quantidade ou muitos) é um prato a base de frutos do mar originalmente da costa de Valência, que é feita de uma forma similar à paella. Seu ingrediente principal é o macarrão (geralmente tipo oco) que juntamente com vários peixes (tamboril, choco, lula) e moluscos (ameijoas, camarão, lagostim), assim seja basta trocar o arroz por macarrão, e em vez de paella temos a fideuá.

A invenção da fideuá é atribuída a uma história engraçada, conta-se que Gabriel Rodriguez Pastor (“Gabrielo” apelido) cozinheiro chefe de um barco de pesca da zona costeira de Gandia (cidade ao sudoeste de Valencia) e seu ajudante Juan Bautista Pascual ("Zabalo” apelido), numa tentativa de ajudar os restantes marinheiros, pois devido ao capitão do barco gostar muito de arroz, quando este o preparava tipo à Banda (prato típico da zona), as doses quase nuca chegava para todos.Tentando encontrar uma solução para o problema, substituirão o arroz por macarrão, pensando que o capitão não gosta-se, assim sobrava mais para os marinheiros. Só que a invenção foi tão boa que logo pegou fama,chegando aos restaurantes da zona do porto que começaram a prepara-lo, sendo o restaurante “Casa da Pastora” onde sé fizeram as primeiras “fideuades”.
Considerado até os dias de hoje um dos pratos mais característico da região, ainda hoje em Gandia realiza-se grandes certames com concursos para apurar as melhores fidéuas.

Assim como a “Paella” a fideuá sé faz numa paellera (recipiente amplo e largo tipo uma sertã), sendo que receitas mais antigas seriam feitas em tachos largos. Para ter um sabor ao mar vamos prepara-la com um bom fumet (Aqui como fazer) na qual servira de caldo base para a preparação da Fideuá.

Ingredientes
800 gramas de gambas (camarões grandes)
600 gramas de fideos nº 3
2 litros de fumet de pescado
1 colher (das de sopa) de pimentão doce (colorau)
3 tomates bem maduros
3 dentes de alhos
Azeite quanto baste
Açafrão quanto baste
Sal quanto baste

Preparação
Cubra o fundo de uma paellera e leve ao fogo médio, quando comece a aquecer frite as gambás e reserve a parte. No azeite que sobrou na paellera, coloque os dentes de alhos laminados, os tomates troçados e o colorau e deixe estrugir uns minutos, acrescente o fumet e deixe ferver, coloque o açafrão e verifique tempero de sal. Introduza os fideos e as gambas (reserve algumas para enfeitar por cima), deixe cozer uns 15 minutos e de seguida coloque a paellera no forno preaquecido a 160ªC, durante uns 5 minutos para que fique seca. Sirva de imediato.


Bom Apetite

sábado, 10 de outubro de 2015

Feijão verde salteado com bacon

Nada de especial simplesmente uns feijões verde salteados com bacon. Aqui fica esta minha receita de muitas que há por ai, na qual de tão simples pode ser uma boa refeição.

Ingredientes
600 gramas de feijão verde
4 ovos cozidos
200 gramas de bacon em tirinhas
2 dentes de alho
Sal grosso quanto baste
Azeitona preta quanto baste
Pimenta a gosto
Azeite

Preparação
Lave os feijões verdes e eliminando as pontas e cortados ao meio no seu comprimento, escalde-os uns 5 minutos em água a ferver temperada de sal grosso, escorra e reserve.
Numa sertã grande antiaderente toste as tiras de bacon, retire-as e reserve. Na mesma sertã coloque um pouco de azeite e aloure um pouco os alhos laminados e introduza o feijão verde, saltei uns 5 minutos temperando de pimenta (moída na hora de preferência) e volte a colocar as tiras de bacon. Verta para uma travessa enfeite com os ovos e azeitonas,



Bom apetite.

Bochecha de ibérico no forno

A bochecha do porco, em catalã “galtes” e em castelhano “carrillera” ou “carrillada” é uma peça de carne suína ou bovina (por vezes mesmo boi) a partir de músculos correspondente às partes gordas que estão localizados em ambos os lados da face do animal. Considerado como carne de terceira categoria, estas partes carnudas (no caso da carne de porco) de cada lado do focinho (nariz), são peças muito gelatinosas de carne que são equivalentes aos músculos mastigatórios, sendo muito tenros e suculentos depois de preparadas. Um prato muito comum em toda a Espanha, principalmente de porco ibérico, por ser uma carne muito gelatinosa, permite que sejam grelhadas, assadas em forno ou cozidas, como acompanhamento usa-se vários legumes ou feijões.

Ingredientes
4 bochechas de porco ibérico
600 gramas de batatas
4 dentes de alho
1 copo de vinho branco
Uma colher (das de sopa) coentros secos
Flor de sal quanto baste
Azeite quanto baste
Conjunto de 4 pimentas (moída na hora)


Preparação
Caso não encontre  bochechas de porco ibérico, pode utilizar as de porco normal. 
Tempere as bochechas com flor de sal, os alhos picados, as pimentas e o copo de vinho branco, deixe marinar umas 2 horas. Num tabuleiro de ir ao forno disponha as bochechas ao centro com o suco da marinada, cubra com papel alumínio e leve ao forno preaquecido a 200 graus durante uns 20 minutos. Entretanto descasque as batatas e lave-as, corte-as em troços. Retire o tabuleiro e coloque as batatas a volta das bochechas, regue com um bom fio de azeite e salpique por cima com os coentros. Volta ao forno (reduzido para 180ª) sem estar tapado com o alumínio mais uns 30 minutos ou até as batatas estarem assadas. Sirva uma bochecha por pessoa com batatas.


Bom Apetite

domingo, 27 de setembro de 2015

Rojões das sainhas


 Tenho pena que certas tradições sé estejam perdendo com o tempo, assim é a receita de hoje, não será nada boa para a saúde, mas enfim sabem tão bem. É uma daquelas receitas que se devem fazer somente uma vez por ano, uma receita ou um prato que sé fazia por todas Gafanhas, quando os dias eram mais frios, entre Dezembro/Janeiro, começavam as matanças do porco e então era frequente a confecção deste prato. Como todas as receitas típicas esta era feita por todo Portugal variando a maneira de fazer conforme a região.

O redenho ou redanho e a gordura que esta a volta dos intestinos, fígado e rins do porco em forma de rama. Quando da matança do porco as tripas eram aproveitadas para fazer enchidos, assim na altura da limpeza retirava-se a gordura correndo pela tripa na qual saia as sainhas ( em termos mais antigos riçol, palavra ainda usado no Alentejo) que depois de cortada em pequenos pedaços tem uma aparência de uma saia com folhes. A maior parte desta gordura devido a sua qualidade era usada para enchidos ou derreter para fazer unto (Banha derretida). Em suma o redenho será a gordura que sustenta as vísceras do animal (neste caso o porco) com a forma de uma rede, também conhecido por tiez, véu das tripas ou renda, usado na culinária para envolver carnes mais secas para a sua preparação. Já as ditas sainhas são as gorduras que estão agarradas ao intestino delgado envolvido pelo dito redenho.

Nas Gafanhas (centro norte de Portugal), chamam-lhes rojões das sainhas, no Alentejo (sul de Portugal) torresmos de riçol e em Chaves (norte de Portugal) rojão do redanho, assim seja as Sainhas, o Riçol e Redanho, não importa o nome, mas sim que são uma delicia depois de feitos e podem ser degustado simplesmente com broa ou uns grelos com batata cozida, e mesmo depois de frios continuam sendo um bom pitéu.

Ingredientes

Redenho quanto baste

Sal grosso








Preparação
Lave bem o redenho em água fria e deixe repousar em água fria e limpa cerca de 30 minutos, retire da água e corte em pedaços mais ou menos do mesmo tamanho, salpique com um pouco de sal grosso (muito pouco, pois devido ao seu tempo de confecção ficaram temperados).
Num tacho de ferro ou um tacho de fundo grosso em lume baixo, colocar o redenho cortado em adição de qualquer gordura, pois passado pouco tempo o suco que largar será o suficiente par a sua confecção. Durante toda a sua confecção que será entre 90 a 120 minutos ir mexendo sempre com uma colher de pau, assim que estiverem lourinhos apague o lume e retire os rojões. Sirva com uns bons grelos e batatas cozidas regado com um pouco de pingue (gordura derretida que sobrou no tacho) de os fazer.
















P.S.
A gordura que sobrou chamada de unto ou banha depois de arrefecida pode ser posta num pote e guardada no frigorifico, na qual mais tarde pode ser utilizada para confeccionar pratos que necessitem de gordura.


Bom Apetite

sábado, 19 de setembro de 2015

Trouxas de couve com carne

Há coisas que ficam na memória, que noz deixa saudades e quando as vemos ou comemos noz faz recuar em ouros tempos. É esta e uma delas, a minha mãe preparava umas trouxinhas de couve lombarda com carne que eram uma maravilha. Querendo recuar um pouco meus tempos de juventude resolvi fazer, quanto mais não seja para agradecer a minha mãe o muito que aprendi com ela.

Ingredientes
1 couve lombarda
200 gramas de carne de porco picada
200 gramas de carne de vaca picada
40 gramas de azeitonas pretas sem caroço
1 colher (das de sopa) de soja liquida
1 tomate bem maduro
1 cebola
1 cenoura
Azeite quanto baste
Sal e pimenta a gosto


Preparação
Separe as folhas da couve e apare os talos, escalde-as em água a ferver temperada de sal uns 5 minutos e deixe esfriar.
Misture as duas carnes com a soja e leve ao lume médio juntamente com o tomate triturado em um tacho com o fundo coberto de azeite. Refogue durante 5 minutos, tempere de sal e pimenta a gosto e adiciona-lhe as azeitonas cortadas, tape e deixe cozinhar em lume baixo uns 15 minutos.
Sobreponha as folhas de couve duas a duas e recheie com o preparado de carne, embrulhe em forma de trouxas e prenda com um palito. Num tacho grande que caiba as trouxas, com um pouco de azeite aloure a cebola cortada em tiras bem finas juntamente com a cenoura ralada e introduza as trouxas preparadas. Tape o tacho e deixe estufar sobre lume bem baixo durante uns 25 minutos. Sirva com arroz basmati (existe a venda já esta mistura a venda, siga as instruções da embalagem ou veja Aqui como preparar o arroz) misturado com arroz selvagem.

Bom Apetite


sexta-feira, 18 de setembro de 2015

Bacalhau de Cebolada

Muito já falei do “Fiel amigo” e muito teria para falar, e como costumo dizer os pratos mais toscanos são os mais ricos, tanto em historia como em sabor. Este é o caso do Bacalhau de Cebolada um prato típico de Ponte de Lima, muito tradicional antigamente nas feiras quinzenais como petisco, logo as tabernas e os restaurantes da vila começaram a servir em seus menus diários. Neste salto qualitativo da feira para os cardápios este prato típico de Ponte de Lima afirma a sua antiguidade como um dos pratos mais tradicionais de Portugal. Hoje em dia é um prato obrigatório numa das feiras mais antigas de Portugal (em Ponte de Lima), o Fim de Semana do “Bacalhau de Cebolada” pretende fortalecer e manter esta tradição como iguaria gastronômica, oferecendo a todos que por lá passam oportunidade de degustar o sabor autêntico, saborosamente envolvido por um molho divinal que dá à cebolada um gosto inconfundível.

Ingredientes
4 boas postas de bacalhau (salgado e previamente demolhado)
3 cebolas em rodelas grossas
½ pimento vermelho em tiras
½ pimento verde em tiras
1 chouriço de carne as rodelas (facultativo)                       Com batatas fritas

800 gramas de batatas as rodelas finas
2 folhas de louros
6 dentes de alhos
1 malagueta
Azeite quanto baste
Sal quanto baste



                                                                           

Preparação
comece por untar as postas de bacalhau com um pouco de azeite e embrulhe individualmente em papel alumínio, leve ao forno pré-aquecido 200º durante cerca de 10 minutos. Entretanto leve ao lume médio uma sertã com o fundo coberto de azeite e os alhos esmagados, adicione as cebolas, as batatas, os pimentos, o chouriço, as folhas de louros e a malagueta inteira e tempere de sal, faça uma cebolada e deixe alourar. Num tabuleiro de ir ao forno (sé for de barro melhor) coloque as postas de bacalhau (retiradas dos embrulhos de papel alumino) e cubra com a cebolada, leve novamente ao forno 180º por mais uns 15 minutos. Sirva em travessa ou em prato individual. 

Querendo pode fazer a cebolada sem as batatas, servindo no fim com as batas fritas as rodelas na qual também fica ótimo.


Bom Apetite

sábado, 12 de setembro de 2015

Pudim de Coco e Manga

Hoje deu-me para uma coisa doce, mesmo não sendo o meu forte, as vezes gosto de aventurar-me por estes lados. Até por que já lá vão uns 4 meses que publiquei algo doce, por isso tá na hora de adoçar a boca ao pessoal.
Desta com coco, um fruto seco que na qual alem de ser amplamente utilizada na alimentação, mas também como material de artesanato, e o mais importante na medicina natural, além disso, o fruto contém cálcio, magnésio, fósforo, ferro, sódio, selênio, iodo, zinco, flúor, manganês e outros elementos. O coco quando seco do qual geralmente é recomendado em dietas anti estresse, também como auxiliar no combate à osteoporose, para a saúde cardiovascular, queima gorduras, reduz o colesterol, regula a tiroide e ajuda na retenção de líquidos. Apesar de ser rico em gordura insaturada, também conhecida como gordura boa, uma única unidade de coco seco contém até 600 calorias. Quando consumida em excesso, seus efeitos são contrários, estimula o ganho de peso e o acúmulo de gordura abdominal. A dica certa é cortar o coco em oito partes e incorporar uma no menu diário. Pode ser batido com sucos, consumido com cereais com iogurte ou até em sobremesas.

Ingredientes
4 colheres (das de sopa) de coco ralado
4 colheres (das de sopa) de açúcar
2 mangas
4 dl de natas
4 ovos




Preparação
Descascar as mangas, retirar o caroço e triturar. Reserve uma parte da manga triturada e com resto misturar com os ovos, o coco, as natas e o açúcar. Bater com uma batedora até  ficar bem ligado e deixar repousar uns minutos para que perda o ar gerado ao bater. Colocar a mistura em molde de silicone com tampa e levar ao forno preaquecido a 180º em banho Maria durante uns 40 minutos ou até que coza. Retire do forno e deixe arrefecer, desenforme, enfeite com o restante triturado da manga, sirva bem frio.


Bom Apetite

sábado, 5 de setembro de 2015

Talharins à Marinheiro

No fim de semana passado não ouve publicação (como todos sabem isto para mim é um passatempo e não um modo de vida) e tudo por uma boa causa. Fui de fim de semana até a praia, mais precisamente em Lloret de Mar. E porque esta praia?


Pois ai estava o meu mano mais novo com a família de férias e já faz mais 3 anos que não estávamos juntos, assim há que unir o útil ao agradável. Lloret de Mar considerada a capital da Costa Brava com uma vasta gastronomia e tradições, rica em costumes locais, sem falar de um bom leque de cozinheiros e restaurantes que fizeram de Lloret de Mar um centro gastronômico de 1ª ordem com cozinhas inovadoras, tradicionais, multiculturais e internacionais. A origem da cozinhas Catalã remota desde da época romana e conta com muitas influencias mediterrânicas, provençais, árabes e judaica. Graças a sua história com tradições e um clima privilegiado, da sua excelente situação geográfica a cozinha catalã é considerada como uma das mais saudáveis do mundo, conhecida mundialmente como “La dieta mediterrânea”.

No princípio pensei em ir a um restaurante ou mais, comer para depois fazer um a publicação na lacuna “Comer fora de casa”, tarefa difícil de vido a grande oferta de qualidade. Por isso e sabendo da forte ligação de Lloret de Mar com produtos marítimos (mariscos, peixes, etc.) resolvi fazer um prato que faz recordar este lugar. Durante a minha visita constatei em vários restaurantes a oferta de
Fideuá de Marisco , sendo assim resolvi elaborar um prato com estas características.

Ingredientes
400 gramas de gambás frescas
500 gramas de mexilhões frescos
500 gramas de tamboril fresco (rabo)
500 gramas de amêijoas frescas
300 gramas de lombos de lagosta prensado ( delicias do mar)
400 gramas de talharins ou espaguetes
1 limão
1 pimento verde em cubinhos
1 cebola bem picada
4 dentes de alho esmagados sem casca
2 tomates bem maduros
1 copo de polpa de tomate
1 copo de vinho branco
1 cubo de marisco (knorr)
1 folha de louro
1 ramo pequeno de salsa
1 colher (das de sopa) de Manjericão fresco
Sal e pimenta a gosto
Azeite quanto baste

Preparação

Retire as cabeças das gambás, descasque-as e deixe o rabo. Raspe as conchas e retire as barbas dos mexilhões, deixe os mexilhões em um só lado das conchas. deixe as amêijoas em um pouco de água com sal para que largue a areia. Tempere o tamboril com sal e sumo do limão e deixe repousar.
Num tacho largo com o fundo coberto de azeite em lume médio, coloque o pimento, a cebola e os alhos, deixe refogar um pouco até a cebola ficar mole e adiciona-lhe os tomates maduros em pedaços e a polpa de tomate. Quando retornar fervura, regue com o vinho branco e junte o cubo de caldo de marisco, a folha de louro e o ramo de salsa, deixe apurar durante 30 minutos em lume bem baixo. Levante para lume médio e introduza o tamboril em pequenas postas e logo que levantar fervura coloque as gambas e retifique o sal e tempere de pimenta moída Ana altura. Deixe cozer cerca de 8 a 10 minutos e introduza os mexilhões e as amêijoas, tape e deixe-as abrir. Junte os lombos de lagosta cortados e apague o lume, retifique temperos e deixe repousar uns minutos com o tacho tapado. Sirva sobre talharins escorridos, cozidos em abundante água temperada com sal. Salpique com manjericão picado.


Bom Apetite

sexta-feira, 21 de agosto de 2015

Sandes de salsicha com chucrete

Os alemães chamam-lhe "Wurst mit Sauerkraut", em Espanha "Perritos con chucrut" e por aqui seria "Salsitxes amb xucrut". Aqui esta uma maneira diferente de apresentar este hot-dog. O chucrete sendo um prato típico da culinária alemã, é consumido em todo o mundo tendo diversas receitas para prepará-lo, sendo mais tradicional na qual utiliza apenas repolho, água e sal.

Feito com repolho de boa qualidade (firmes, sem partes estragadas, sadios), retirando as folhas de cima e mais velhas, ficando só as folhas de dentro que são cortadas em tiras bem finas seguindo para uma fermentação que transforma o repolho em chucrute. Uma fermentação lática utilizando uma grande quantidade de sal para evitar a degradação por micro-organismos indesejados e facilitar o desenvolvimento das bactérias de fermentação lática. O repolho deve ser pressionado no tanque onde estiver sendo salgado, na qual no fim da fermentação os tanques são vedados e posteriormente levados para serem enlatados. Este processo era feito manualmente em boa parte das casas na Alemanha, mas hoje em dia já o compramos em boas superfícies comerciais. Um alimento considerado benéfico para a saúde, pois ajuda a reduzir o açúcar do sangue, previne o câncer, além de ajudar a digestão, sendo um grande aliado na perda de peso.

Ingredientes
4 pãezinhos tipo brioche integral
4 salsichas Frankfruter
1 cebola doce (media)
1 frasco pequeno de chucrete (120 gramas)

4 pepinos pequenos avinagrados
4 colheres (das de sopa) de maionese
4 folhas de alface
4 fatias de queijo emmental



Preparação
Misturar a maionese com os pepinos e a cebola bem picado, reservar. Abrir os pãozinho ao meio e barrar a parte de baixo com a maionese preparada e cobrir com a alface tracejada, colocar o queijo em tiras com as salsichas laminadas e cobrir com o chucrete. Fechar com a parte de cima do pãozinho e sirva.



Bom Apetite

sábado, 15 de agosto de 2015

Pãezinhos com peru e beterraba

Aqui esta mais uma receita de sandes, ideal para aquele dia de praia ou piscina, leve e fresca. Com um ingrediente que é adorado por muito pouca pessoas, a beterraba.

Quer goste ou não devia de ser um ingrediente a incluir na alimentação com alguma regularidade. A beterraba é uma excelente fonte de nutrientes, um ótimo anti.inflamatório que ajuda a prevenir o envelhecimento e a purificar o sangue. Alem disso é um dos milagres da natureza na prevenção do cancro assim como na ajuda de limpar o fígado. Sendo um alimento versátil, pode ser comida crua, cozida, adicionado a sopas e guisados. De preferência crua em saladas.para poder usufruir de todas as suas propriedades.

Ingredientes
4 pãezinhos de sésamo

1 cenoura ralada
1 maça golden ralada
½ cebola em tiras bem finas
Sumo de um limão
2 colheres (das de sopa) de óleo de girassol
1 beterraba roxa cozida ( compra-se já cozida e embalado inteira ou cortada)
200 gramas de peito de peru cozido embalado

Preparação
Numa taça com tampa misturar a maça,a canoura e a cebola com o óleo e o sumo do limão. Guardar tapado no frigorifico cerca de 1 hora. Cortar o peito do peru em tiras finas e a beterraba em fatias, reserve. Monte as sandes da seguinte maneira, abra os pãezinhos, sobre a base de baixo coloque a mistura com o óleo e limão escorrido, cubra com peito de peru e beterraba e a parte de cima do pãozinho. Sirva.


Bom Apetite

sexta-feira, 14 de agosto de 2015

Lombo de porco ao alho

Um pouco mais reconfortante, mas comido com moderação, torna-se numa boa refeição como naqueles dias de picoteo para beber uma cervejinha bem gelada. Sendo a carne de porco a base de boas receitas e pitéus com imensa utilização, na qual o seu sabor a chave de sucesso. Para tornar uma refeição mais completa sirva com legumes salteados, ou simples com umas rodelas de ananás.

Ingredientes
400 gramas de lombo de porco da parte do cachaço (sé possível ibérico)
1 cabeça de alhos
Tomilho que baste
Sal e pimenta a gosto

Azeite quanto baste

Preparação
Corte o lombo em bifes e tempere com sal e pimenta (eu utilizo sempre escamas de sal e pimenta moídos na hora), deixe repousar uns 15 minutos. Numa sertã com azeite quente dourara os bifes de lombo de ambos os lados, retirar e reservar no prato que vai servir. No mesmo azeite colocar o tomilho e os alhos laminadas para dourar, vire o preparado ainda quente sobre o lombo e sirva, porá tornar uma refeição mais completa sirva com batatas e feijão verde pré-cozido e salteados.


Bom Apetite

sábado, 8 de agosto de 2015

Caracoletas de queijo e fiambre

O queijo e o fiambre , muito versátil na hora de preparar um lanche ou uma entrada. Desde umas sandes simples ou mais complexas e bem elaboradas, assim como mistos quentes. Querendo lembrar um pouco as celebres mistas quentes , hoje proponho fazer uns caracóis de massa com queijo e fiambre para uma entrada ou até para um lanchezinho como foi o caso destes.

Ingredientes
500 gramas de farinha sem fermento

40 gramas de fermento de padeiro
200 gramas de queijo fatiado
200 gramas de fiambre fatiado
80 gramas de manteiga (temperatura ambiente)
80 gramas de açúcar
1 copo de leite
3 ovos

Sal fina
1 colher (das de sopa) de oréganos
Raspa da casca de um limão

Preparação
 Numa tigela junte 100 gramas da farinha, 2 ovos e o fermento dissolvido em um pouco de leite morno. Amasse bem e deixe levedar por uns 30 minutos. Entretanto bata o açúcar com a manteiga e uma pitada de sal, acrescente a raspa do limão e a massa já levedada com a restante farinha. Amasse bem e deixe repousar mais 30 minutos. Estenda a massa sobre um superfície enfarinhada com a ajuda de um rolo, distribua as fatias de fiambre, cobrindo com o queijo e polvilhe com os oréganos. Enrole formando um rolo e corte em fatias de 2 cm de espessura, distribua em um tabuleiro forrado com papel vegetal e pincele com o outro ovo batido,deixe repousar um pouco. Leve ao forno pré-aquecido 180º entre 25 a 30 minutos. Retire as caracoletas e sirva quentes ou frias.

Bom apetite

sexta-feira, 7 de agosto de 2015

Salada de feijão branco de conserva

Muito sé poderia falar sobre as conservas, podemos dizer que hoje em dia é um grande aliado na cozinha, e certo que historicamente alguns métodos alteraram drasticamente o caráter de alimentos enlatados. 
Em muitos casos, estas alterações tornaram-se as qualidades desejáveis, tais como queijos e iogurtes, picles, por exemplo. Os alimentos em conserva servem para evitar a deterioração (perda de qualidade, ou comestibilidade de valor nutricional). Isto é geralmente conseguido, impedindo o crescimento de leveduras, fungos e outros microrganismos, assim como retardar a oxidação de gorduras que causam o ranço. Também incluem processos que inibem a descoloração natural que pode ocorrer durante a preparação dos alimentos, tais como escurecimento enzimático reação que acontece após o corte. Em alguns casos servem para manter ou melhorar o valor nutricional, textura e sabor, etc.

Ingredientes
1 lata de feijão branco em conserva (400 gramas)

100 gramas de bacon fumado
1 chouriço vermelho de colorau
1 chouriço de vinho
1 colher (das de chá) de oréganos secos
3 dentes de alho
1 colher (das de sopa) de mostarda em grãos (Maille àl Ancienne)
100 gramas de pimento vermelho picado
1 colher (das de sopa) de vinagre de maça
4 colheres (das de sopa) de azeite virgem extra suave
Pimenta branca (moída na hora) quanto baste
Flor de sal (moído na hora) quanto baste

Preparação
Comece por preparar um molho da seguinte maneira. 
Ferver os dentes de alhos com a pele em água temperada de sal durante 2 minutos, retirar da água e limpar das peles. Numa taça misturar a polpa dos alhos cozidos com a mostarda, e o vinagre, acrescentar o azeite pouco a pouco mexendo sempre. Tempere de flor de sal e pimenta, reserve. Numa sertã antiaderente (sem gordura) saltear o bacon cortado em troços, quando começarem a dourar, retirar e dourar os chouriços as rodelas. Numa saladeira colocar os feijões escorridos e misturar com o pimento, o bacon e os chouriços. 
Salpique com os oréganos e sirva temperado com o molho preparado.



Bom apetite

domingo, 2 de agosto de 2015

Bolo salgado de fiambre



Nem sempre os bolos têm que ser doces, e exatamente o que eu proponho para a merenda de hoje, trocar a chávena de café ou chá por uma cerveja e uma boa fatia de bolo salgado

Ingredientes
400 gramas de farinha com fermento

3 ovos
1 chávena (das de chá) de leite
1 colher (das de café) de sal
1 colher (das de sopa) de coentros secos

2 colheres (das de sopa) de açúcar
100 gramas de manteiga
150 gramas de fiambre

Preparação
Bata os ovos com a farinha, o leite e a manteiga derretida, adiciona o açúcar, o sal e os coentros e continue a bater. Numa forma de buraco untada com manteiga e polvilhada com farinha, verta o preparado alternando com as fatias de fiambre. Termine com um pouco de preparado e polvilhe com farinha, deixe repousar um pouco. Leve ao forno pré-aquecido 180 º durante uns 45 minutos ou até ficar cozido. Retire e deixe esfriar um pouco, desenforme e sirva.


Bom apetite

sábado, 1 de agosto de 2015

Espetadas de salsicha fresca

É mesmo no verão que bate aquela vontade de fazer uma boa churrascada, mas nem sempre e possível, pois é meus amigos hoje deu-me essa vontade. Cheguei da piscina (que rico dia) e com alguma fome, abro o frigorifico vejamos!!!,” tem que ser algo rápido e ligeiro, hora aqui esta umas salsichas frescas”.
 Resolvi fazer umas espetadas e graças ao meu grelhador elétrico e a fumaça liquida pode enfatizar o efeito de brasas, até parecia que estava no campo.

Ingredientes
6 salsichas frescas
200 gramas de bacon em fatias
½ pimento verde
½ pimento vermelho
1 cebola doce das grandes
Mistura de 5 pimentas (procure nos super na parte das especiarias uns moinho que já traz esta mistura)

fumaça liquida quanto baste (opção)
Azeite quanto baste
Sal



Preparação
Descasque a cebola e corte em quartos, lave os pimentos e retire as sementes e corte em quadrados.Corte as salsichas em três partes e m espetos de madeira alterne pedaços de salsicha, pimentos, cebola e bacon, estando todas as espetadas feitas regue com um pouco de azeite,tempere-as de sal e pulverize um pouco de fumaça liquida. Num grelhador elétrico já quente, grelhe-as cerca de 15 minutos dando a volta quando necessário. Sirva com uma boa salada.



Bom Apetite

sexta-feira, 31 de julho de 2015

Sandes de Salmão com chop suey de camarão

Voltando ao tema das Sandes, hoje voz trago uma assim um pouco auto estilo tipo alta cozinha, mas fácil e rápida de fazer. De vez em quando a que esquecer um pouco o queijo e o fiambre e das sandes normais aventurar-se um pouco. Os espanhóis chamam-lhe Bocadillo, já os catalãs chamam-lhe Entrepà tudo aquilo que pode ir ao meio do pão.

Ingredientes
4 pães tipo baguete integral
4 fatias de salmão fumado
150 gramas de camarões cozidos e pelados
4 gambás cozidas sem casca
4 colheres (das de sobremesa) molho coquetel

1 cebola roxa pequena em rodelas bem finas
½ pimentão verde em tiras bem finas
½ pimentão vermelho em tiras bem finas
100 gramas de soja germinada (frasco)
2 colheres (das de sopa) de azeite
1 colher (das de sopa) de soja liquida
Tabasco a gosto (opção)
Sal

Preparação
Começamos por prepara um Chop suey com a cebola e os pimentões. Numa work com o azeite salteia em lume alto estes primeiros ingredientes até ficarem um pouco tostados, temperar de sal e acrescentar os camarões e a soja germinada, salteie um pouco mais e coloque a soja liquida, apague o lume e deixe arrefecer o preparado, reserve. Acrescentar um pouco de tabasco ao molho de coquetel (se não houver crianças) e abra um pão ao meio e barre a parte de baixo com esse molho e por cima o chop soey (já frio), cubra com a fatia de salmão e enfeite com a gambá, ponha por cima a outra parte do pão e prenda com um palito. Siga esta operação nos seguintes pães e sirva.

Bom Apetite


domingo, 26 de julho de 2015

Salada de Bacalhau e feijão verde com pimentos

Hoje temos um prato bem português, ao estilo de saladas e com o fiel amigo. Uma refeição para aqueles dias que a comida tem que ser fresca e saudável. Pecamos só pelo sal do bacalhau, mas meus amigos para comer um bom bacalhau tem que ser salgado.

Ingredientes
2 postas de bacalhau remolhadas
100 gramas de pimentões vermelhos assados (frasco)
300 gramas de feijão verde finos
1 dente de alho
Azeitona preta laminada quanto baste
Azeite quanto baste
Vinagre quanto baste
Coentro seco quanto baste

Sal e pimenta a gosto













Preparação 
Num tacho com água a ferver escalde o bacalhau uns 5 minutos, reserve e deixe esfriar. Na mesma água coza os feijões até ficarem tenros, reseve e deixe esfriar. Depois de frio lasque o bacalhau e coloque numa saladeira, escorra os pimentões e corte-os em tiras e junte ao bacalhau. Depois dos feijões frios e escorridos, junte-os ao bacalhau, assim como as azeitonas e o alho bem picadinho. Tempere a salada com azeite, vinagre, pimenta e o sal sé necessário. Salpique com os coentros e sirva.

Bom Apetite