Traductor

segunda-feira, 10 de abril de 2017

Perna de cordeiro no forno estilo Marroquino

Aqui estamos noz em plena Segunda Feira Santa, ontem foi Domingo de Ramos que além de marcar o início da Semana Santa, marca a entrada de Jesus em Jerusalém. Daqui a nada será Sexta Feira Santa e Domingo de Pascoa, por muitas casas portuguesas haverá folares doces e salgados, assim como cabrito o borrego para dia de Domingo. Pensando nisso ontem preparei uma perna de cordeiro ao estilo Marroquino, par hoje voz propor para fazer no Domingo de Pascoa, uma maneira diferente para preparar o cordeiro para esta Pascoa. Para isso teremos que desossar a perna, pois assim o corte sé queda mais uniforme e proporciona um melhor sabor, ideal tanto para assar no forno o grelhar. Aconselho a pedir carniceiro de onde compra a carne que o desosse, pois esta fase poderá ser um pouco trabalhosa para quem não tem muita pratica. Quanto a receita é de fácil elaboração e muito simples.

Ingredientes
Uma perna de cordeiro desossada entre 2 a 2.5 kg de peso com os ossos reservado.
1 cebola picada grosseiramente
1 cenoura grande em rodelas grossas
3 dentes de alhos amassados com a casca

3 raminhos de tomilho
2 colheres (das de chá) de alecrim
1 colher (das de chá) de manjerona
1 chavena (das de chá) de tomate triturado

Azeite quanto baste
Sal e pimenta preta moída na hora a gosto




Preparação
Com a perna estendida tempere de sal e pimenta e feche a perna colocando a parte estreita dentro da larga, sé necessário amarre com fio de cozinha. Colocar os ossos com a cebola, a cenoura, e os alhos em um tabuleiro, regue com um pouco de azeite e leve ao forno pré-aquecido a 200º uns 10 minutos ou até que comesse a dourar. Entretanto esfregue a carne com sal, pimenta e azeite. Coloque por cima dos ossos e volta ao forno mais uns 40 minutos regando deves em quando com o suco que larga. Retira o tabuleiro do forno e retire alguma gordura que possa haver no tabuleiro, junte meio litro de agua e polvilhe com as ervas. Abaixa a temperatura do forno para 180º e volta a pôr o tabuleiro mais uns 30 minutos regando deves em quando. Estando a carne assada retire o tabuleiro do forno e retire a carne(mantenha em lugar quente), coloque o tabuleiro em cima do fogão em lume lento e junta-lhe o tomate, mexa e deixe uns 5 minutos até reduzir. Coa o malho e passe a verdura por um coador com a ajuda de uma colher (para dar um pouco de textura ao molho), retifique o sal. Sirva a carne trinchada com o molho por cima e acompanhe com verduras.




Bom Apetite







sábado, 18 de março de 2017

Chouriço assado no bagaço e broa de milho

Há dias assim, ontem estive a fazer uma limpeza na gaveta dos congelados e encontrei um chouriço congelado, fruto da minha última ida a Portugal. Decheio fora para descongelar ao natural e hoje preparei de uma maneira muito típica de o comer em Portugal, assado no bagaço (aguardente). A coisa é simples basta ter um bom chouriço, aguardente da boa e um assador típico português (sé não tem aqui está uma boa oportunidade de visitar Portugal e comprar um). Colocamos a aguardente no assador, ascendemos e colocamos o chouriço em cima para assar, damos um par de volta para ficar bem assado. Depois é fácil basta acompanhar com um bom vinho e uma broa acabada de sair do forno.

A broa de milho também conhecida em algumas regiões de Portugal como pão de milho é uma receita das mais antigas da gastronomia portuguesa. Outrora um pão considerado caseiro e consumido pelas pessoas mais pobres no seu dia a dia, opondo-se ao pão branco de trigo consumido pela classe mais alta. As receitas podem variar de farinha de milho com farinha de trigo ou com farinha de centeio, na qual mistura-se só fermento e água. Em algumas receitas acrescenta-se no meio chouriço ou sardinhas salgadas.

Ingredientes
Farinha de trigo quanto baste
500 gramas de farinha de milho peneirada
200 gramas de carolo de milho (sêmola)
15 gramas de fermento de padeiro
1 colher (das de sopa) de sal grosso
3 chávenas (das de chá) de água a ferver
1 chávena (das de chá) de água morna




Preparação
Misture o carolo com a farinha de milho e escalde na água a ferver, amasse bem e deixe repousar uma hora. Dilua o sal e o fermento na água morna e misture com o preparado da farinha de milho, amasse bem e vá juntando a farinha de trigo atendendo a necessidade da massa que deve ficar mole e um pouco pegajosa e firme (nunca dura), polvilhe com farina de trigo e faça uma cruz no centro e cubra com um pano e deixe levedar durante uma hora aproximadamente. Coloque a massa em cima de uma folha de couve (como sé fazia antigamente antes de ir ao fogo de lenha) dando-lhe a forma arredondada e espalmada, polvilhe com um pouco de farinha de trigo e carolo. Disponha em cima de um tabuleiro e vai ao forno a 200ºC durante uma hora (evitar abrir o forno durante a cozedura), para saber sé esta cozida bater na base e verificar sé o som é oco.

Bom Apetite


sábado, 11 de março de 2017

Entrecosto na grelha ao estilo barbacoa

Sem preconceitos e nem mais hoje vamos fazer um uma costilla (entrecosto) grelhada. Bem fácil né, ascendemos o fogareiro (barbacoa) com um pouco de carvão, carne temperada à gosto em cima e é só grelhar, isso para quem tem uma casa com quintal. Mas para que vive num apartamento a coisa complica, o melhor é esperara pelo verão e ir para um parque de merendas e fazer a churrascada. Para que esperar, hoje vou dar-vos uma receita para fazer num apartamento com aquele gostinho de ser feito no carvão, para isso basta ter um tabuleiro com grelha e fumo liquido. O tabuleiro será fácil encontrar a venda, agora o fumo já é um pouco mais complicado, pois o seu comercio na Europa (só em lojas especializada em produtos americanos) ainda está muito limitado, mesmo assim por internet sé pode conseguir. Sé não conseguir o fumo liquido faça na mesma, pois não vamos deixar de comer esse entrecosto.

Ingredientes
Uma ou duas tiras de entrecosto
1 colher (das de sopa) de fumo liquido (opcional)
2 colheres (das de sopa de azeite)
1 colher (das de café) de colorau
1 colher (das de café) de coentros secos
1 colher (das de café) de vinagre de maça
1 colher (das de café) de tabasco ou outro picante de sua preferencia
2 dentes de alho bem picado
Sal grosso



Preparação
Misture todos os ingredientes menos o sal e unte as tiras de entrecosto, deixe repousar 1 hora para tomar gosto. Coloque um pouco de água no tabuleiro com grelha e disponha por cima o entrecosto com os ossos virados para cima, vai ao forno pré-aquecido 200º só com o Grill ligado, quando começar a ficar dourado vire o entrecosto com a carne para cima e tempere de sal e volta ao forno para acabar de grelhar. Esta operação pode demorar de 30 a 45 minutos, portanto a que ter atenção para não queimar a carne.



Bom Apetite


domingo, 5 de março de 2017

Arroz chau-chau, Arroz três delicias, Arroz frito, 炒饭

Hoje a coisa o teremos para complicado, não pela receita, mas pela sua origem na qual vários a reclamam. Possivelmente inventada na dinastia Qing (1754/1815) por Yi bingshou magistrado da aldeia Yngzhou, na qual alguns habitantes já tentaram patentear o prato. Há quem fale numa origem mais antiga, um prato caseiro da cozinha china na qual pode proceder de 4000 anos A.C., feito a base arroz cozido e salteado em fogo muito alto com verdura e raízes chinas. Uma outra versão seria da época das construções das vias férreas americanas na qual a sua maioria seriam trabalhadores chineses que cobravam entre duas a três taças de arroz branco ao dia na qual deitavam-lhe algo mais por cima para o tornar mais saboroso e nutritivo. Logo quando acabou as construções em 1869 muitos chineses ficaram sem trabalho, havendo alguns mais hábeis que montaram casas de comidas onde elaboravam essas refeições, muitas baseadas no que comiam na altura das construções. Assim nasceram muitas receitas da cultura chino-Americana. Agora noz toca uma versão portuguesa, como um prato tradicional da cozinha de Macau, mais propriamente do Cantão na qual tem o nome de arroz Chau Chau que em língua cantonense (炒飯) sé pronuncia "tchau fan" sendo o seu indignificado “Arroz frito” O arroz é inicialmente cozido em separado, sendo depois frito e envolvido com os restantes ingredientes como; carne de porco, cebolinho, chouriço, presunto,ervilha,ovo, camarão, existindo até uma versão com bacalhau.

Vários debates houve sobre os ingredientes certos, sé leva ou não camarões, porco assado ou fiambre, legumes ou raízes, etc, etc. Uma coisa é certa tem que levar arroz e molho de soja na qual lhe da um sabor oriental, quanto ao resto faça como eu ponha aquilo que tenha por ai (como os chineses americanos) e crie a sua propiá versão. Pode ser servido simples ou como acompanhamento com carnes ou peixe, no meu caso servi com peito de frango grelhado.

Ingredientes
200 gramas de arroz agulha

50 gramas de ervilhas
50 gramas de milho doce (grão)

100 gramas de fiambre em fatias 
1 cenoura
2 ovos
Sal
Molho de soja
Azeite

Preparação
Coza o arroz em bastante água temperada com sal entre 10 a 15 minutos, retire e passe por água fria 2 ou 3 vezes, deixe escorrer. Bata os ovos e faça uma omelete o mais fino possível e corte em trocitos, reserve. Corte o fiambre em tiras ou trocitos, reserve. Descasque a cenoura e corte ao comprido fazendo uma espécie de palitos, logo em trocitos e reserve.
Numa sertã tipo wok aqueça um pouco de azeite comece por saltear os trocitos de cenoura com as ervilhas uns 5 minutos, tempere com o molho de soja a gosto. Junta-lhe o arroz bem escorrido e continue a saltear por mais uns 10 minutos. Adiciona-lhe os trocitos de fiambre, a omelete e o milho, revolva bem durante mais uns 5 minutos. Retifique os temperos e sirva bem quente.




Bom Apetite

sábado, 25 de fevereiro de 2017

Pollo al ajillo (frango com alho)

Sabem daqueles dias em que entramos na cozinha e gostamos de criar, pois hoje é um dia desses. Dou uma vista no que tenho por aqui e vejo pouca coisa (a que ir fazer compras), alhos e batatas, opss não há cebolas!!!!!. Seguimos, folhas de louro, ervas aromáticas, azeite. Esta dispensa está mesmo vazia, tenho que ir de compras.
Vejamos no frigorifico, uiii nem vale a pena falar, ainda está pior. Espera está aquele frango que não sé fez ontem (pois fomos comer fora), bueno parece que as coisas estão em bom caminho, pois veio-me a cabeça um dos clássicos na cozinha tradicional espanhola em qualquer bar ou restaurante espanhol. Sempre referenciado nas cartas como sugestão para picar, bem simples e fácil de fazer. Os espanhóis fritam em azeite com alho troços de frango aromatizados com ervas, eu como estou numa de criar resolvi levar esta receita ao forno com umas batatinhas ao murro, mais ao estilo português.

Ingredientes
1 frango médio
1 quilo de batatas medias (mais para ao pequeno)

1 copo de vinho branco
1 cabeça de alho
1 ramo de tomilho seco
1 ramo de alecrim seco
1 folha de louro
Sal grosso
Flor de sal (pode usar sal marinho grosso)
Azeite

Preparação
Corte o frango em troços e limpe de gorduras e alguma pele indesejável, banhe os troços de frango em azeite e tempere com o alecrim, tomilho, louro e cabeça de alho desfeita e os dentes ligeiramente pisados com a casca. Deixe repousar uns 30 minutos no mínimo para tomar gosto.
Entretanto lave bem as batatas com a pele e coza em bastante água temperada com sal grosso, depois de cozidas escorra e deixe arrefecer. Distribua os troços de frango num tabuleiro juntamente com os temperos (acrescente um pouco mais de azeite sé necessário), regue com o vinho e salpique com a flor de sal. Leve ao forno pré-aquecido 180º/200º apenas com o Grill ligado entre 30 a 40 minutos dando-lhe volta aos troços de frango de vez em quando. Junta-lhe as batatas com um ligeiro murro e deixe mais uns 10 minutos, sirva de imediato.


Bom apetite



domingo, 12 de fevereiro de 2017

Peito de frango enrolado em bacon com lentilhas

Depois de um fim de semana que não parei por aqui (tempo dedicado a família) e porque o friozinho ainda sé sente, nada melhor que um prato reconfortante e nutritivo. Já aqui falei sobre as lentilhas um cereal simples, com distintas variedades, como as verdes, pardinas, vermelhas e de Puy. Todas com um grande valor para a saúde. Ricas em várias vitaminas e hidratos de carbono, etc.

Ingredientes200 gramas de lentilhas
500 gramas de peito de frango
150 gramas de bacon fumado em fatias
1 cenoura
1 penca de aipo
1 dente de alho
1 copo de vinho branco
2 folhas de louro
Azeite quanto baste
Pimenta a gosto
Sal fino

Preparação
Deixar as lentilhas de molho e água de um dia para o outro (sendo das pardinas com 4 horas chega). No dia em uma panela coloque as lentilhas escorridas, acrescente o alho descascado e picado , a cebola descascada e picada, a cenoura lavada e as rodelas, o aipo lavado e as rodelas e as folhas de louro. Regue com um pouco de azeite e cubra tudo com água, leve a cozer em lume baixo durante uma hora. Tempere de sal e pimenta a gosto depois de cozidas, reserve.
Limpa e lava os peitos de frango e corta em dados, envolve-los nas fatias de bacon e prende com palitos. Doara-los ligeiramente em sertã com um fio de azeite e acrescente o vinho, deixe ferver para evaporar o álcool e coze uns 10 minutos em lume médio. Junta as lentilhas e deixe cozer mais uns 10 minutos, retifique os temperos e sirva.



Bom Apetite

domingo, 29 de janeiro de 2017

Caldo de peixe e marisco mediterrânico

Até porque ainda faz frio, nada melhor que um caldinho ou uma boa sopa bem quente. Assim hoje para combater um pouco este frio vamos fazer uma das sopas que é um clássico na cozinha mediterrânea, além do mais bastante simples de fazer. Um prato outrora de gente pobre, de pescadores que hoje em dia anda na mais alta gastronomia mediterrânea.

Além disso as sobras de um caldo de peixe e sempre reutilizável mais tarde para enriquecer outros guisados, molhos, asados, arrozes de mariscos, paellas ou fideuá, etc. No frigorifico aguenta uns 3 dias no máximo, já congelado aquenta muito tempo e pode ser de auxílio para futuros pratos. Eu costumo congelar badejas de fazer cubos de gelo, estando feitas retiro e coloco numa saca etiquetada, assim o terei em pequenas doses para reutilizar.

Ingredientes
500 gramas de cabeças de peixe branco
300 gramas de camarões descascado
250 gramas de ameijoas
1 cebola
2 dentes de alho
1 cenoura
1 alho francês
1 folha de louro
1 ramo de salsa
Cebolinho (opção)
4 fatias de pão de forma
100 gramas de tomate triturado
Azeite quanto baste
Flor de sal marinho
Sal
Filamentos de açafrão

Preparação
Tosta o pão, reserve. Coloque as ameijoas de molho em água com um pouco de sal para largar alguma areia. Limpar o alho francês e pelar a cenoura, lavar e cortar em troços. Lavar as cabeças de peixe e colocar a cozer uns 25 minutos juntamente com o alha francês, a cenoura, a folha de louro e o ramo de salsa. Durante a cozedora vá retirando a espuma que sé forma, estando cozido coe o caldo e reserve, separe as febras das espinhas, reserve.
Num tacho grande com um pouco de azeite dourar os alhos descascados, apague o lume e retira-los e triture-os juntamente com o pão tostado e alguns filamentos de açafrão. Deslie com um pouco de caldo, reserve. Volte a pôr o tacho ao lume e no mesmo azeite coloque a cebola bem picada para refogar, adicione o tomate e refogue uns 10 minutos e junta-lhe o preparado de pão com alho, mexa bem e cubra com o caldo reservado. Deixe levantar fervura e acrescente as ameijoas escorridas e os camarões, tempere com flor de sal e tape o tacho. Deixe cozer uns 5 minutos e junta-lhe as febras de peixe, sirva bem quente enfeitado com cebolinho.


Bom apetite

domingo, 22 de janeiro de 2017

Tortita de legumes com ovo escalfado

A coisas que parecem um bicho de sete cabeças, uma delas é fazer um ovo escalfado ou ovo Poche como dizem os Franceses. Uma maneira saudável de comer ovos, já que não é preciso usar nenhum tipo de gordura para prepará-los. Ovos escalfados podem ser servidos em saladas, com torradas, em pratos de entrada ou simples ao prato. Atualmente existe no mercado escalfador de ovos ou tigelinhas de silicone para por e ir a cozer em água quente. Um bom ovo escalfado deve cozer em água quente e nunca em água a ferver temperada de sal e vinagre. O método tradicional é muito simples; tenha o ovo já aberto dentro uma chávena, num tacho largo em fogo forte coloque água e tempere de sal e vinagre, quando começar a ferver mexa a água até formar um redemoinho, coloque o ovo da chávena no centro e apague o fogo, deixe cozer uns 3 ou 4 minutos. Retire o ovo e deixe repousar antes de servi-lo. Aqui nesta receita vou usar um truque para que fique mais inteiros (compactos) e com uma aparência rustica.


Ingredientes
Película de plástico (filme transparente)
3 batatas
1 cenoura
1 cebola
4 ovos
2 colheres (das de sopa) de manteiga 

2 talos de cebolinho
Sal
Pimenta
Azeite






Preparação
Descasca as batatas, a cenoura e a cebola, lavá-las e passe por um ralador com orifícios grossos, misture o preparado e dívida em 4 porções. Numa pela antiaderente em fogo médio/alto aqueça uma quarta parte da manteiga e coloque uma das porções, aplaste com uma escumadeira e tempere de sal e pimenta, frite dos dois lados entre 6 a 7 minutos ou até ficarem douradas. Repita a operação com as restantes 3 porções de verduras até obter 4 tortitas. Corta 4 pedaços de película de plástico e pita-los de azeite. Introduza uma dos pedaços de película dentro de uma chávena deixando as pontas de fora e abra para ai um ovo e feche as pontas formando um saco sem ar. Repita a operação com os seguintes ovos.
Coloque uma panela com água e introduza os 4 sacos com os ovos, quando começar a ferver baixe o lume e deixe cozer 3 minutos. Retira-los e deixe repousar um pouco, abra os sacos com cuidado e coloque cada um em cima de cada tortita. Tempere de sal e pimenta com cebolinho picado por cima e sirva.



Bom Apetite

domingo, 15 de janeiro de 2017

Arroz de entrecosto

Cada vez mais as pessoas tentam economizar na cozinha, uma pratica que com certos truques podemos preparar verdadeiros pitéus. Ainda mais sé são daquele tipo de pessoas que gostam do prato bem cheio, aí interessa fazer uma refeição forte e nutritiva com pouco gastos. Ter atenção que a qualidade e o melhor aliado para uma boa refeição, por isso o truque muitas vezes passa pela escolha dos ingredientes na preparação da refeição. Pensando nisso hoje vamos preparar uma refeição econômica nos ingredientes, que noz fortalece e pode ser servida como prato único.

Ingredientes
280 gramas de arroz redondo (arbóreo) ou carolino
400 gramas de entrecosto em pedaços
200 gramas de cogumelos pequenos lavados e partido ao meio
150 gramas de feijão verde (vagens) limpos e em troços

1 cebola media picada
1 dente de alho picado
2 tomates grandes e bem maduros e triturados
1 copo de vinho branco
Azeite quanto baste
Sal grosso quanto baste
Pimenta a gosto


Preparação 
Temperar o entrecosto com sal e pimenta (eu sempre uso pimenta moída na hora) e deixar repousar uns 20 minutos. Num tacho com o fundo coberto de azeite dourar os pedaços de entrecosto por todos os lados, retire e reserve. No mesmo tacho coloque a cebola e o alho para estrugir uns 5 minutos e refresque com o vinho, deixe levantar fervura para perder o álcool e acrescente os tomates e deixe cozer uns 5 minutos. Acrescente o entrecosto, os cogumelos e as vagens com ½ litro de agua quente, deixe levantar fervura e incorpore o arroz e verifique os temperos. Deixe cozer uns 20 minutos em lume médio ou até que o arroz coza.



Bom Apetite

sábado, 14 de janeiro de 2017

Cuscuz com almôndegas em molho de tomate

O cuscuz um prato de origem Magrebe do norte de África, mais propriamente de um povo com o nome de Berbere ao contrário de que muita gente pensa ser Árabe. Já no século XIII este prato era muito popular em toda Macherreque (países Árabes) indicando que esta preparação não é de origem Árabe. Os franceses são os responsáveis de sua divulgação na Europa já no século XVII, em Portugal por essas alturas o cuscuz fazia parte da ementa diária, partilhando a mesa com o arroz e outros cereais, com o tempo o cuscuz em Portugal perdeu a sua popularidade, ficando apenas o nome que foi dado a uma massa alimentícia usada em sopas.
Feito de sêmola de cereais, principalmente o trigo, na qual a sêmola é amassada à mão com um pouco de água até se transformar em pequenos grãos que devem ser cozidos no vapor duma cuscuzeira (utensílio próprio para cozer o cuscuz a vapor) e servidos com um molho que pode ser feito a parte.

Ingredientes
400 gramas de cuscuz
3 tomates maduros sem pele e triturados
1 cebola picada
2 dentes de alho picados
½ copo de vinho branco
Salsa quanto baste
Azeite quanto baste
Sal grosso

Para as almondegas
300 gramas de carne picada de vaca
1 ovo
2 fatias de pão de forma
1 dente de alho picado
Salsa quanto baste
Sal
Pimenta a gosto

Preparação
Numa sertã com um pouco de azeite fazer um refogado com a cebola e os alhos, refresca com o vinho e deixa evaporar o álcool, acrescenta os tomates e tempera de sal. Polvilha com salsa picada e deixa apurar 20 minutos em lume baixo, reserve. Retira a codea do pão e esmigalha-o e mistura com a carne, o ovo, o alho bem picado e a salsa picada. Tempere de sal e pimenta a gosto e amasse bem, faça pequenas bolas formando assim as almôndegas, frite em óleo bem quente e deixe escorrer, reserve. Colocar o cuscuz em uma vasilha grande, ir deitando água pouco a pouco e removendo com a mão. Colocar o cuscuz molhado em uma cuscuzeira e coze-lo ao vapor removendo de vez em quando até que esteja cozido, solto e macio. Misture as almondegas com o molho e sirva com os cuscuz ao lado.



Bom Apetite

sábado, 7 de janeiro de 2017

Revolto de ovos com gambas e vagens

Muito poderia falar eu sobre os ovos, um alimento versátil e indispensável em qualquer cozinha, mas vou apenas falar deste prato rico e forte, ideal para os dias depois das farturas das festas natalícias, até porque a vontade de ir para a cozinha é pouca. Um prato muito fácil e simples de fazer na qual por si só não necessitará acompanhamento, nele encontramos tudo o que precisamos para uma boa refeição. Muito parecido com uns ovos mexidos, mas quando preparado com outros ingredientes, chama-se “Revolto”.

Ingredientes
120 gramas de gambas
100 gramas de feijão verde (vagens)

4 ovos
2 dentes de alho laminados
4 colheres (das de sopa) de leite
4 colheres (das de sopa) de salsa picada
4 colheres (das de sopa) de azeite
Sal
Pimenta a gosto



Preparação
Lava e limpa as vagens, corta-as ao comprido ao meio e em pedaços grandes. Coze-las em água temperada de sal uns 8 minutos, escorre-las e refresca-las em água fria, reserve. Limpe as gambas das cascas, cabeça e tripa deixando só a ponta do rabo, reserve. Em uma sertã antiaderente aquecer 3 colheres de azeite e alourar os alhos 1 minuto, colocar as gambas e saltear 2 minutos, colocar as vagens e saltear mais dois minutos, retire o salteado da sertã, reserve. Adicione a sertã a outra colher de azeite e deite os ovos previamente batidos com o leite e temperados de sal e pimenta a gosto, mexa sempre até começarem a ficar coalhados, espavore-a com a salsa picada e acrescente o salteado de gambas com vagens, misture e deixe cozer uns segundos mais até o revolto estar em seu ponto. Tem que ficar coalhado e meloso, sirva bem quente.



Bom Apetite