Traductor

sábado, 18 de março de 2017

Chouriço assado no bagaço e broa de milho

Há dias assim, ontem estive a fazer uma limpeza na gaveta dos congelados e encontrei um chouriço congelado, fruto da minha última ida a Portugal. Decheio fora para descongelar ao natural e hoje preparei de uma maneira muito típica de o comer em Portugal, assado no bagaço (aguardente). A coisa é simples basta ter um bom chouriço, aguardente da boa e um assador típico português (sé não tem aqui está uma boa oportunidade de visitar Portugal e comprar um). Colocamos a aguardente no assador, ascendemos e colocamos o chouriço em cima para assar, damos um par de volta para ficar bem assado. Depois é fácil basta acompanhar com um bom vinho e uma broa acabada de sair do forno.

A broa de milho também conhecida em algumas regiões de Portugal como pão de milho é uma receita das mais antigas da gastronomia portuguesa. Outrora um pão considerado caseiro e consumido pelas pessoas mais pobres no seu dia a dia, opondo-se ao pão branco de trigo consumido pela classe mais alta. As receitas podem variar de farinha de milho com farinha de trigo ou com farinha de centeio, na qual mistura-se só fermento e água. Em algumas receitas acrescenta-se no meio chouriço ou sardinhas salgadas.

Ingredientes
Farinha de trigo quanto baste
500 gramas de farinha de milho peneirada
200 gramas de carolo de milho (sêmola)
15 gramas de fermento de padeiro
1 colher (das de sopa) de sal grosso
3 chávenas (das de chá) de água a ferver
1 chávena (das de chá) de água morna




Preparação
Misture o carolo com a farinha de milho e escalde na água a ferver, amasse bem e deixe repousar uma hora. Dilua o sal e o fermento na água morna e misture com o preparado da farinha de milho, amasse bem e vá juntando a farinha de trigo atendendo a necessidade da massa que deve ficar mole e um pouco pegajosa e firme (nunca dura), polvilhe com farina de trigo e faça uma cruz no centro e cubra com um pano e deixe levedar durante uma hora aproximadamente. Coloque a massa em cima de uma folha de couve (como sé fazia antigamente antes de ir ao fogo de lenha) dando-lhe a forma arredondada e espalmada, polvilhe com um pouco de farinha de trigo e carolo. Disponha em cima de um tabuleiro e vai ao forno a 200ºC durante uma hora (evitar abrir o forno durante a cozedura), para saber sé esta cozida bater na base e verificar sé o som é oco.

Bom Apetite


sábado, 11 de março de 2017

Entrecosto na grelha ao estilo barbacoa

Sem preconceitos e nem mais hoje vamos fazer um uma costilla (entrecosto) grelhada. Bem fácil né, ascendemos o fogareiro (barbacoa) com um pouco de carvão, carne temperada à gosto em cima e é só grelhar, isso para quem tem uma casa com quintal. Mas para que vive num apartamento a coisa complica, o melhor é esperara pelo verão e ir para um parque de merendas e fazer a churrascada. Para que esperar, hoje vou dar-vos uma receita para fazer num apartamento com aquele gostinho de ser feito no carvão, para isso basta ter um tabuleiro com grelha e fumo liquido. O tabuleiro será fácil encontrar a venda, agora o fumo já é um pouco mais complicado, pois o seu comercio na Europa (só em lojas especializada em produtos americanos) ainda está muito limitado, mesmo assim por internet sé pode conseguir. Sé não conseguir o fumo liquido faça na mesma, pois não vamos deixar de comer esse entrecosto.

Ingredientes
Uma ou duas tiras de entrecosto
1 colher (das de sopa) de fumo liquido (opcional)
2 colheres (das de sopa de azeite)
1 colher (das de café) de colorau
1 colher (das de café) de coentros secos
1 colher (das de café) de vinagre de maça
1 colher (das de café) de tabasco ou outro picante de sua preferencia
2 dentes de alho bem picado
Sal grosso



Preparação
Misture todos os ingredientes menos o sal e unte as tiras de entrecosto, deixe repousar 1 hora para tomar gosto. Coloque um pouco de água no tabuleiro com grelha e disponha por cima o entrecosto com os ossos virados para cima, vai ao forno pré-aquecido 200º só com o Grill ligado, quando começar a ficar dourado vire o entrecosto com a carne para cima e tempere de sal e volta ao forno para acabar de grelhar. Esta operação pode demorar de 30 a 45 minutos, portanto a que ter atenção para não queimar a carne.



Bom Apetite


domingo, 5 de março de 2017

Arroz chau-chau, Arroz três delicias, Arroz frito, 炒饭

Hoje a coisa o teremos para complicado, não pela receita, mas pela sua origem na qual vários a reclamam. Possivelmente inventada na dinastia Qing (1754/1815) por Yi bingshou magistrado da aldeia Yngzhou, na qual alguns habitantes já tentaram patentear o prato. Há quem fale numa origem mais antiga, um prato caseiro da cozinha china na qual pode proceder de 4000 anos A.C., feito a base arroz cozido e salteado em fogo muito alto com verdura e raízes chinas. Uma outra versão seria da época das construções das vias férreas americanas na qual a sua maioria seriam trabalhadores chineses que cobravam entre duas a três taças de arroz branco ao dia na qual deitavam-lhe algo mais por cima para o tornar mais saboroso e nutritivo. Logo quando acabou as construções em 1869 muitos chineses ficaram sem trabalho, havendo alguns mais hábeis que montaram casas de comidas onde elaboravam essas refeições, muitas baseadas no que comiam na altura das construções. Assim nasceram muitas receitas da cultura chino-Americana. Agora noz toca uma versão portuguesa, como um prato tradicional da cozinha de Macau, mais propriamente do Cantão na qual tem o nome de arroz Chau Chau que em língua cantonense (炒飯) sé pronuncia "tchau fan" sendo o seu indignificado “Arroz frito” O arroz é inicialmente cozido em separado, sendo depois frito e envolvido com os restantes ingredientes como; carne de porco, cebolinho, chouriço, presunto,ervilha,ovo, camarão, existindo até uma versão com bacalhau.

Vários debates houve sobre os ingredientes certos, sé leva ou não camarões, porco assado ou fiambre, legumes ou raízes, etc, etc. Uma coisa é certa tem que levar arroz e molho de soja na qual lhe da um sabor oriental, quanto ao resto faça como eu ponha aquilo que tenha por ai (como os chineses americanos) e crie a sua propiá versão. Pode ser servido simples ou como acompanhamento com carnes ou peixe, no meu caso servi com peito de frango grelhado.

Ingredientes
200 gramas de arroz agulha

50 gramas de ervilhas
50 gramas de milho doce (grão)

100 gramas de fiambre em fatias 
1 cenoura
2 ovos
Sal
Molho de soja
Azeite

Preparação
Coza o arroz em bastante água temperada com sal entre 10 a 15 minutos, retire e passe por água fria 2 ou 3 vezes, deixe escorrer. Bata os ovos e faça uma omelete o mais fino possível e corte em trocitos, reserve. Corte o fiambre em tiras ou trocitos, reserve. Descasque a cenoura e corte ao comprido fazendo uma espécie de palitos, logo em trocitos e reserve.
Numa sertã tipo wok aqueça um pouco de azeite comece por saltear os trocitos de cenoura com as ervilhas uns 5 minutos, tempere com o molho de soja a gosto. Junta-lhe o arroz bem escorrido e continue a saltear por mais uns 10 minutos. Adiciona-lhe os trocitos de fiambre, a omelete e o milho, revolva bem durante mais uns 5 minutos. Retifique os temperos e sirva bem quente.




Bom Apetite