Traductor

sábado, 28 de julho de 2012

Frango à Dijon


Aqui a tempos publiquei aqui   "1"  "2"  "3"  receitas com mostarda mais leves (tipo brancas). Sendo assim hoje vou propor um prato com uma mostarda mais forte. Existe mostarda em grão, em pó ou sob formas preparadas ( tipo maionese). As mais populares são de preparação inglesa, francesa, alemã e americana. Mas a sua verdadeira origem e Italiana feito com açúcar, frutas e óleo de mostarda, geralmente picante. Desde o seu aparecimento que a mostarda mais popular, muitas vezes é confundida com a mostarda francesa (moutarde), que faz alusão a mostarda como um condimento que é feito a base da famosa mostarda de Dijon (Dijon Moutarde), com vinagre, sal e sementes de mostarda. Os dois produtos, e a etimologia do nome, têm em comum apenas a utilização da mesma planta.


As principais mostardas italianas são;
Mostarda vimentina; a base de polpa de marmelo , obtido a partir do fruto cozido com 50% de açúcar . Depois de arrefecer adicionasse  um óleo essencial de mostarda.
Mostarda Cremonese; a mais popular de todas. É uma mistura de fruto cristalizado e xarope com um teor de açúcar de 50-60%, com a adição do óleo essencial de mostarda.
Mostarda  Mantovana; novamente com marmelo, possivelmente também com peras, mas com frutos inteiros.
Mostarda di Voghera; frutas cristalizadas e xarope.
Mostarda piemontese; baseia-se em marmelada de uva .
Em Itália a mostarda usada tradicionalmente como acompanhamento de cozidos, embora nos últimos tempos alargassem a sua combinação com queijos curado em geral ou até compotas e doces. Já a mostarda pura (a antiga) e muito utilizado para condimentar carnes.

Já a mostarda de Dijon de origem francesa é uma variedade de mostardas fortes e muito usada na culinária francesa. Feita a partir de grãos de mostarda, vinagre, sal e ácido cítrico. Serve para acompanhar todos os tipos de carnes, geralmente feita tipo mainesse. O nome "mostarda de Dijon" devido ser feita na cidade de Dijon desde o século XVIII. Atualmente existem varia receitas da mostarda de Dijon, sendo a mais utilizada as que fazem a combinação com o estragão, sendo as mais famosas as marcas Maille e Amora.


Ingredientes
500gramas de frango cortado em pedaços
1 ramo de tomilho
1 cebola media
2 folhas de louro
2 dentes de alhos
2 colheres (das de sopa) de farinha de trigo
2 colheres (das de sopa) de mostarda de Dijon
200 ml. De natas
Manteiga que baste
Sal que baste

Preparação
Ponha o frango a cozer em ½ litro de água juntamente com o tomilho, a cebola as rodelas, o louro e temperado de sal. Coe e reserve o caldo. Depois de cozido e limpo leve a o frango à frigideira a dourar em um pouco de manteiga com o alho esmagado, reserve tudo. Com o caldo coado dissolva a farinha e leve ao lume brando 3 minutos aproximadamente, retire do lume e acrescente as natas e a mostarda junte ao preparado do frango e misture tudo muito bem. Sirva com legumes cozidos ou batas fritas e arroz branco.

Obs. Depois de colocar a mostarda não levar o molho ao lume nem ferver, se o fizer o molho ficara azedo.

Bom Apetite

sexta-feira, 27 de julho de 2012

Salmão no forno com bacon


Apeteceu-me bacalhau no forno. Epá!! Só tenho salmão no congelador, pois vai mesmo salmão. Já que estava numa de bacalhau vou fazer como se fosse bacalhau. Aqui esta uma boa prova que tudo na cozinha tem uma maneira de comunicar tanto emoções como sentimentos, temos que exaltar os sabores e as memórias de gustativas. Bem vamos lá então a receita.

Ingredientes
4 postas de salmão
12 fatias de bacon
½ kg de batatas medias
2 cebolas
4 dentes de alhos
1 colher (das de chá) de tomilho
6 colheres (de sopa) de vinho do porto       
Sal que baste
Azeite que baste
Pimenta a gosto

Preparação
Tempere o salmão com pimenta, tomilho e sal e embrulhe cada posta com 3 fatias de bacon, reserve. Numa assadeira espalhe as cebolas as rodelas e os alhos laminados, disponha no centro o salmão embrulhado e as batatas descascadas  e cortada ao meio a volta regue com azeite e o vinho do porto. Tape a assadeira com papel alumínio e leve ao forno 200º assar cerca de 45 minutos. Retire o papel  e deixe mais 15 minutos. Pode servir com  arroz de açafrão e couve rocha retalhada.

Bom Apetite

domingo, 22 de julho de 2012

Tomates recheados à zezão


Já aqui muito falei de tomates (como eu adoro este fruto), sim senhor é um fruto, basta ver a minha receita de Duas saladas que ai conto um pouco da historia do tomate e como eu digo o tomate é o todo terreno da cozinha.
Mas hoje resolvi rechea-los, e desta vez vou usar o mais clássico dos recheios, o de carne picada, além do mais com estes dias quentes o tomate pega bem.

Ingredientes “por pessoa”
2 tomates maduros
100 gramas de carne picada (metade porco metade vaca)
1 colher (das de sopa) de cebola picada
1 colher (das de sopa) de pimentão vermelho picado
Polpa dos tomates triturada
½ dente de alho picado
Queijo mozzarella ralado que baste (opcional)
Salsa picada que baste
Sal que baste
Azeite que baste
Vinagre que baste
Tabasco a gosto

Preparação “do recheio”
Ponha a carne a cozer em água temperada com sal ( este processo serve para limpar a carne de alguma impureza e excesso de gordura, alem disso deixa a carne bem solta, temperada e melhor para trabalhar na confecção ), depois de cozida escorra e reserve a carne rejeitando a água. Numa frigideira com um pouco de azeite aloure a cebola, o pimentão e o alho até ficarem macios, acrescente umas gotas de vinagre e mexa, ponha a carne, a salsa picada e a polpa de tomate, tempere de tabasco a gosto e verifique o sal. Deixe apura em lume baixo mexendo de vez em quando.

Preparação e confecção dos tomates
Os tomates devem ser bem maduros e rijos, depois de bem lavados do lado da penca corte uma tampa e com ao auxilio de um descaroçador ( pode usar uma colher de chá ou café ) retire toda a polpa e sementes destes na qual deve reservar para o preparo do recheio. Depois dos tomates bem escorridos e limpos do seu interior, recheios com o preparado de carne. Leve ao forno 180º entre 15 a 25 minutos num tabuleiro forrado com papel vegetal (pra que os tomates não peguem ao tabuleiro), 5 minutos antes de tira-los polvilhe com queijo (caso goste) para que gratinem um pouco. Sirva simples ou acompanhado com umas vagem verdes cozidas.

Bom apetite

sábado, 21 de julho de 2012

Rolinhos Primavera

A cerca de 4 meses publiquei a receita do Pastel Brasileiro, uma espécie de rolitos made in Brasil. Presente em quase toda cozinha asiática os rolinhos de primavera, chun kun (em chinês: 春卷, ). Tradicionalmente fazem parte do festival do Ano Novo Chinês que é normalmente realizada a cada ano nas proximidades da primavera. Os rolinhos primavera tem um simbolismo especial nestas datas. Normalmente são servidos em festivais de Qingming. Na verdade é que os rolos primavera tem centenas de variantes e basicamente as pessoas colocam os ingredientes que mais gosta ou que tem naquele momento. Pessoalmente acho que o conceito de "Primavera", sugere algo  fresco  que apesar de  ser  um alimento frito deve encontrar-se com o interior, saborosos e nutritivos ao mesmo tempo. Por isso só uso legumes no recheio dos rolinhos. Querendo pode comprar a massa em lojas de alimentos ou produtos naturais orientais, normalmente são umas folhas muito finas feitas com farinha de arroz que são específicos para os rolinhos primavera, mas pode-se fazer-se de trigo.

Ingredientes para a massa
100 gramas de farinha de trigo
2 colheres (das de sopa) de óleo
Sal que baste

Preparação da massa

Amasse a farinha com água, uma pitada de sal e o óleo até ficar bem macia. Deixar  descansar pelo menos 30 minutos para depois esticá-la o mais fina possível  e cortar em placas quadradas, reserve no frio separadas  em folhas de papel vegetal

Ingredientes do recheio
250 gramas de couve branca em tiras finas      
1 alho porro (Frances) em rodelas finas
1 cebola media picada
100 gramas de cogumelos laminados
2 cenouras medias ralada
4 colheres (das de sopa) de rebentos de soja
1 colher (das de café) de molho de soja
1 colher (das de café) de gengibre em pó
Sal e pimenta a gosto
Azeite que baste

Preparação do recheio
Numa panela tipo WORK, coloque azeite suficiente para saltear os legumes em lume alto ( os legumes devem ficar al dente ou seja cozidos mas duros) um par de minutos, tempere com o molho de soja, o gengibre, o sal e pimenta a gosto. Reserve.

Montagem e fritura
Distribuir o recheio de legumes no centro dos quadrados de massa ou nas bases compradas. Tomar cuidado para não transbordar, feche primeiro os lados ( do lado para o meio )e depois enrole,  antes de fechar completamente, umedeça o final com um pouco de água para fechar os rolinhos.  O frite em óleo abundante até dourar bem e depois escorrê-lo  em papel de cozinha.  Pode servir sozinho ou com algumas gotas de molho de soja por cima ou com uma salada de arroz e grão-de-bico fria. (Aproveita as sobras de arroz branco e mistura com ½ pimentão vermelho picado, ½ cebola picada e uma lata de 120ml de grão-de bico pré-cozido)

Bom Apetite

quarta-feira, 18 de julho de 2012

Salada de polvo com feijão


Nos dias quentes que tocam as vezes queremos uma refeição ligeira e bem nutritiva, nessa base criei esta saladinha que mesmo com uma pequena dose pode repor as nossas forças, sem precisar de comer muito. Além disso pode até num dia de uma ementa mais bem elaborada servir de entrada ou um 1º prato.

Ingredientes
250 gramas de polvo  cozido ( só tentáculos ) cortado as rodelas
150 gramas de feijão manteiga ou branco cozido ( hoje em dia já existem boas marcas de feijão pré-cozido )
1 cebola media picada
½ pimentão vermelho picado grosso
1 ramo  de salsinha picada
Azeite que baste
Sal que baste
Pimenta a gosto

Preparação
Muito simples depois de ter todos os ingredientes a mão basta misturar tudo, temperar de sal e pimenta a gosto e acrescentar o azeite.  Caso queira usar como uma entrada ou 1º prato, basta por no centro do prato um montador e encher com a salada enfeitando com uma folha de salsa.





Bom Apetite

sábado, 14 de julho de 2012

Três em um


Podia chamar-se terceira tentativa, pois só pela terceira vez é que sai esta delicia ( um fim de semana a comer doces). Pois é, caros amigos e amigas na semana passada foi dia de fazer experiências na cozinha ( uns queriam bolo, outros um doce de colher) e daí nasceu esta receita que combina o bolo de nozes, o creme pasteleiro e aos natas do céu, e pelo s vistos toda gente gostou. O Bolo de nozes, uma herança da doçaria conventual em Portugal que terá origem no século XV, sendo a lista de doces conventuais  extensa e abrange todas as regiões de Portugal. Saliente-se, ainda, que a confecção de um determinado doce pode variar consoante a região. O Creme pasteleiro é um recheio doce, típico da culinária portuguesa. Trata-se de um creme de certa consistência e espessa e de cor amarelada, na sua confecção  os ingredientes são misturados e vai ao lume, requerendo ser mexido com frequência, para que não se pegue ao fundo do tacho. É utilizado como recheio de diversos bolos. Já as nossas queridas Natas do céu e quem no gosta desse doce simples e fácil de fazer (eu aqui só usei as natas). Assim temos uma receitazinha um pouco difícil (temos que fazer 3 sobremesas), mas que no fim o resultado será uma verdadeira gostosura. Bem aqui vai a receita

Ingredientes

Tarte de nozes

½ chávena (das de chá) de farinha de trigo
½ chávena (das de chá) de açúcar
½  chávena (das de chá) de nozes trituradas
1 colher (das de café) de fermento
2 colheres (das de sopa) de manteiga
2 ovos

Preparação
Separe as gemas das claras e bata estas em castelo, reserve. Misturar as gemas com o açúcar e a manteiga até  ficar homogêneo, misturar a farinha e o fermento  e voltar a mexer bem, em-volver com as claras em castelo e levar ao forno 180º durante  30 minuto numa forma untada de abertura lateral, depois de cozido deixar na forma

Creme pasteleiro

250 ml de leite
250 ml de agua
150 gramas de açúcar
75 gramas de farinha s/fermento
2 gemas
2 ovos
limão ou baunilha para dar gosto
1colher (das de sopa) de manteiga

Preparação
Juntar muito bem o açúcar e farinha, reserve. Juntar os ovos e as gemas mexer bem e misturar ao preparado anterior até fazer uma mistura bem homogênea, reserve. Levar o leite e água ao lume com a manteiga e o aroma escolhido (limão ou baunilha) deixar ferver, tirar do lume e juntar á mistura mexendo sempre, leve ao lume mexendo sempre com uma colher de pau para não queimar o fundo.
Quando começar a borbulhar (ferver) retire do lume e coloque por cima da tarte de nozes que ainda esta na forma, deixe arrefecer.

Natas

250 ml de natas para montar
colheres (das de sopa) de açúcar

Preparação
Bater as natas bem firmes com o açúcar, reserve.

Montagem
Depois do creme pasteleiro bem frio (dentro da forma e por cima da tarte ), colocar por cima as natas batidas e polvilhar com bolacha Maria triturada ou enfeitar com nozes.Leve ao frigorifico para ficar bem frio tirando o aro lateral só na altura de o servir.

Bom Apetite

sábado, 7 de julho de 2012

Molho de entrecosto com Fusillis


Voltando ao tema das massas hoje voz trago um prato de Fusilli (aspirais em Português) com molho de entrecosto na qual pode acompanhar com qualquer outro tipo de massa ou outro tipo de acompanhamento. Sendo o fusilli uma massa que retém mais os molhos, penso que é a escolha perfeita para este tipo de prato.

Ingredientes
400 gramas de entrecosto em pedaços pequenos
2 dentes de alhos picados
1 cebola media picada
1 copo de vinho branco
1 colher (das de café) de colorau
1 pitada de tomilho
Azeite que baste
Sal que baste
Tabasco a gosto
Fusilli que baste (entre 80 a 100 gramas por pessoa)
Queijo parmesão (facultativo)

Preparação
Numa sartén (frigideira) com o fundo coberto de azeite comece por fritar o entrecosto ate ficar bem loirinho, retire e reserve. No mesmo azeite ponha para estrugir a cebola e os alhos, quando começar a ficar translucido acrescente o vinho e deixe ferver 3 a 5 minutos (evaporar o álcool), tempere com o colorau, tomilho, sal e tabasco a gosto. Volte acrescentar o entrecosto e deixe levantar fervura, deixe apurar. Deite por cima dos fusillis já cozidos em água e sal e polvilhe com queijo parmesão ralado grosso e sirva.

  Bom apetite