Traductor

quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

Bolo Rei

Não é possível falar de Natal ou dia de Reis sem falar de bolo rei, sendo quase presença obrigatória em todas as mesas nesta época. Não é por acaso que tem forma de coroa e brilho nas suas frutas cristalizadas. Reza a lenda que este doce representa os presentes oferecidos pelos Reis Magos ao Menino Jesus acuando do seu nascimento. A côdea simbolizava o ouro, as frutas secas e cristalizadas representavam a mirra, e o aroma do bolo assinalava o incenso. A existência duma fava também tem a sua explicação: os reis disputaram entre si qual dos três teria a honra de ser o primeiro a entregar ao menino os presentes que levavam.Como não conseguiram chegar a um acordo e com vista a acabar com a discussão,pediram a  um padeiro para confeccionar um bolo escondendo no interior da massa uma fava. O Rei Mago que tivesse a sorte de retirar a fatia contendo a fava seria o que ganharia o direito de entregar em primeiro lugar os presentes a Jesus. Isto e lenda, mas realmente o  Bolo Rei terá, surgido em França no tempo de Luis XIV para as festas do Ano Novo e Dia de Reis. Com a Revolução Francesa em 1789 este bolo foi proibido, “como mais tarde iria acontecer em Portugal” Com isto parece não haver dúvidas que o Bolo Rei tem verdadeiras origens francesa, apesar do Bolo Rei popularizado em Portugal no século passado não ter nada ver com o bolo simbólico que se fabricava em frança. O nosso Bolo Rei segue a receita a sul de Loire, ( uma província francesa que fazia um bolo em forma de coroa feito de massa levedada ). Sabe-se que, a primeira casa onde se vendeu Bolo Rei em Portugal foi em Lisboa na Confeitaria Nacional, já  no Porto foi posto à venda pela primeira vez em 1890 na Confeitaria Cascais, feito segundo uma receita que o proprietário Francisco Júlio Cascais trouxera de Paris no ano de 1870. A receita do Bolo Rei já  correu mundo, muito contribui para isso a fama que o bolo ganhou por proporcionar expectativa a quem comesse a fatia que continha a fava (assumir o pagamento do próximo bolo ou correr perigo de engoli-la ) ou ter a sorte de encontrar um brinde. Como não bastassem, as leis comunitárias ditaram o fim da tradição, proibindo que no interior do bolo se encontre uma fava ou um brinde, mesmo assim o Bolo Rei continua a ser um símbolo da época Natalícia, do Natal até aos Reis Magos ( do dia 25 de Dez. até ao dia 6 de Jan. ). O Bolo Rei não se limita a ser um bolo com gosto agradável, ele é na verdade um verdadeiro símbolo desta época!
Depois de conhecer a história deste bolo não ficou com vontade de comer uma fatia?
Então vamos fazê-lo.

Ingredientes
Varias frutas cristalizadas que baste
varios frutos secos que baste
500 gramas de farinha de trigo
150 gramas de açucar
75 gramas de manteiga ou margarina
15 gramas de fermento de padeiro
2.5 decilitros de leite
3 ovos
sal ao paladar

Preparação
Num alguidar desfaz-se o fermento no leite morno e junta-lhe a manteiga derretida, mistura-se e vai-se incorporando a farinha, o açúcar e os ovos inteiros um a um, mistura-se tudo até poder trabalhar com as mãos. Amassa-se durante durante uns 30 minutos, isto até a massa formar bolhas, nisto cobre-se com um pano limpo e deixa-se levedar de 9 a 10 horas em lugar quente. passado este tempo mistura-se as frutas cristalizadas aos pedacinhos e os frutos secos, de forma que fique que as frutas fiquem bem espalhadas por toda a massa. Unta-se com manteiga um tabuleiro largo, a qual se coloca a massa em forma de coroa, e, feito isto deixa-se descansar mais 3 horas,mais ou menos para a massa levedar de novo. Passado este tempo leve a cozer em forno quente 200º, tendo o cuidado para ao meio da cozedura, retirar o bolo e decorá-lo rapidamente com frutas cristalizada ( tiras da grossura de um dedo ) e vai novamente ao forno até acabar de cozer ( o tempo varia de forno para forno ). Estando cozido retira-se do forno e polvilha-se com um pouco de açúcar em pó.

Bom Apetite

1 comentário: